Fechada para balanço

26 agosto 2015


Não desisti do amor, não desisti de amar e nem pretendo, mas a grande verdade é que de uns tempos pra cá estou fechada para balanço. Estou fechada para balanço e para tudo mais que não me acrescenta. Aprendi que existe uma sutil diferença entre egoísmo e amor próprio e decidi que iria me amar mais, mesmo que isso me fizesse parecer egoísta.

Vez ou outra me pego colocando na balança questões que ficaram no passado mas que ainda fazem morada em mim. Fechei para balanço porque aqui dentro está uma bagunça, já não sei mais o que existe e o que deixa de existir. Me fechei pro mundo pra descobrir o que do mundo, me fará falta. Tenho feito uma relação extensa de tudo que ainda tem aqui que não deveria mais ter e de tudo que foi embora e eu só me dei falta hoje.

Me fechei pra balanço porque chega um momento que ou você bota ordem no barraco, ou o barraco cai e cá entre nós, não estou disposta a enfrentar mais alguma coisa desmoronando. 

Tenho feito minhas contas e me dei conta de que o mais importante, ainda está aqui. Quem tinha que ficar, ficou e quem tinha que ir, foi, como tudo na vida. As coisas passam, as pessoas passam e hora ou outra somos obrigados a olhar pra dentro de nós e fechar para balanço. 

O que eu quero dizer é que desde que fechei para balanço percebi nada tem me faltado, tenho dentro de mim um estoque enorme de boas emoções, o que me falta mesmo é coragem de sentir. Porque meus caros, se tem uma coisa nesse mundo que balanço nenhum é capaz de consertar é um coração que já quebrou tanto, que nem super bonder é capaz de colar.

Agora é a hora!


É isso mesmo minha gente! Se tem uma época do ano que é decisiva pra todo mundo é essa de "meio de ano". Se você está na escola é hora de garantir aqueles pontos pra passar direto; Se está na faculdade, da pra recomeçar um semestre se dedicando mais; Se o seu time de futebol ta mals no campeonato, agora é hora de contar quantas vitórias vocês precisam e por aí vai... 

Acho que vocês já devem ter percebido que além da música, eu sou bastante ligada ao mundo dos esportes e práticas de exercício físico e por isso,  a playlist de hoje, é pra você que prometeu que em 2015 iria se dedicar mais aos seus respectivos treinos maaaaaas, isso não ta rolando muito e ultimamente, tem batido uma preguiça que só vendo! Sendo assim, estou aqui para resolver essa questão com muitas músicas que dão um up na prática de qualquer atividade! Eu prometo e não é nenhum milagre, é música! 

Sou da opinião que os treinos em geral, passam por 3 etapas: Aquecimento, ápice e relaxamento e a playlist foi montada pensando justamente nesses fases, só vem comigo que vocês brilham gente! 

Fase 1 - Aquecimento 

1) Vamos começar com uma música mais tranquila mas que já vem com um ritmozinho animador. "Locked Away" do muso Adam Levine com o R. City.


2) Pra começar a pegar aquela energia de ativação, é preciso ouvir músicas marcadas, como é o caso de raps ou hip-hop. Eu indico três que são tempo suficiente para isso e que estão mega estouradas no cenário musical atual.

Fetty Wap - Trap Queen

Jidenna feat. Kendrick Lamar - Classic Man 

Drake- Energy

Fase 2 - Ápice

1) Esse é o momento que surgem as primeiras gotinhas de suor e por isso, precisamos escutar algo que já seja mais agitado mais ainda com um ritmo que te prenda de alguma fora. O rock seria o estilo mais indicado e mais especificamente, essa música aqui ó...

  Hollow Moon - Awolnation

2) Agora sim, você já está naquela pegada do bambo do bambolê e disposta a fazer mais umas 10h de exercício. Essa empolgação é endorfina e é realmente ótima, principalmente acompanhada das músicas eletrônicas que vou bombar pra vocês a seguir:

Deorro X Chris Brown - Five More Hours

Martin Solveig - Intoxicated

Time of our Lives - Ne-Yo feat. Pitbull


Demi Lovato - Cool For the Summer

Fase 3 - Relaxamento

1) Aquele momento em que você percebe que exagerou um pouco quando achou que ainda teria horas e horas de engajamento de praticar o exercício e começa a querer desanimar. Nesse momento, como você já sente certo cansaço, a música eletrônica jã não cabe mais porque ela vai te estressar e fazer você achar que ela é barulhenta demais pra sua vibe. Portanto, a pedida ideal é a deliciosa música latina ou reggaeton e batidinhas mais leves porém, animadinhas como essas duas:

J. Balvin - Ay Vamos

Flo Rida feat. Robin Thicke - I Don't Like It, I Love It

2) Fim de esforço! Se você chegou até essas duas músicas, significa que você conseguiu!!! Uhuuuul! E pode admitir que foi bem mais fácil com essa trilha sonora especializada vai? Então pra relaxar te indico os dois recentes lançamentos do Disclosure que são bem clima House, bem ideal para esse momento pós exaustão. 

You & Me


Omen - Disclosure

Espero ter contribuído para vocês e motivado o suficiente para encarar, ao menos, os próximos 6 meses! É força na peruca e acredita na pose, Beijos!













Parte de mim

24 agosto 2015


Tenho te observado, mesmo depois de tanto tempo, ainda busco noticias suas. Tenho tentado entender olhando você, em qual momento eu errei. Quando foi que tudo mudou? Em que momento você decidiu que não era mais eu? Que dia você acordou e decidiu desistir de nós?

Quando foi que as coisas perderam tanto o sentido a ponto de te fazer deixar de sentir? Vivo buscando em gestos e olhares o exato momento em que nós deixamos de ser um do outro, mas não encontro resposta. Não consigo me lembrar, nem no último dia, no dia em que você me disse adeus, de um olhar que não fosse de amor. O seu adeus soou como um "até logo", mas esse logo nunca mais chegou.

O teu olhar era de quem estava deixando a coisa mais importante da vida para trás. Você me disse adeus e logo em seguida "eu sempre vou te amar". E é por isso, que busco o momento em que você resolveu me deixar. Busco te olhar hoje e não te reconhecer mais, mas, você ainda é meu. Você ainda perde o rumo quando eu estou por perto, suas mãos ainda ficam frias e você não consegue evitar de me chamar de amor.

Tenho olhado e vejo que você ainda usa a blusa que eu adoro, o tênis que eu te dei e ainda carrega em você parte de mim. Tenho te visto e percebo em cada olhar seu, que você nunca deixou de ser meu e fico tentando entender, quando é que foi que deixou de ser? Quando é que foi que você me olhou pela última vez sem querer me pedir pra ficar? Fico tentando entender, quando é que as coisas perderam tanto o sentido a ponto de deixar de ser... 

Te olho e lembro de cada momento, como se eles ainda estivessem sendo o melhor tempo de nossas vidas. Então me diz: Quando foi que as coisas perderam tanto o sentido a ponto de te fazer deixar de sentir? Me diz, porque aqui, de onde eu estou, mesmo que por um ângulo ruim, eu ainda vejo em você, parte de mim, a minha melhor parte, a parte que você nunca deixou ir.

Flores para inspirar

23 agosto 2015


Algumas pessoas se inspiram lendo, outras dançando, cada pessoa se inspira de um jeito. Eu me inspiro no céu, como já contei aqui nesse post e por isso, resolvi fazer um post hoje para quem se inspira nas flores. Acho as flores lindas, elas são delicadas e ao mesmo tempo extremamente fortes, nascem em meio ao cimento, possuem cores e formatos de inspirar qualquer um.

Fiz uma seleção de algumas flores em vasos para inspirar vocês tanto para terem flores em casa quanto para fazerem algo que gostem, porque quando a gente busca inspiração, nós queremos que ela nos ajude com o que gostamos de fazer, né?




Lindas né? E as cores? O roxo, o azul.. São todas cores incríveis feitas pela natureza! Eu fiquei apaixonada por todos esses arranjos e não vejo a hora de ter uma penteadeira pra poder colocar flores nela, porque no resto da casa já tenho várias!!

E vocês meninas, gostaram do post? Costumam usar flores na casa de vocês? O que mais inspira vocês? Comentem!

Vamos Falar Sério? - Depressão

21 agosto 2015


Tive muita dificuldade de escolher o primeiro tema a ser trabalhado no Vamos Falar Sério? e a minha amiga, e também colaboradora do DDM, Júlia Savassi me aconselhou a utilizar o meu próprio exemplo pessoal pra começar um projeto. Como já falei no post de apresentação, a ideia é resgatar histórias que tratam de problemas dos mais diversos e que nos afetam diretamente.

Bom, desde muito pequena eu morava na casa dos meus avós maternos com meus pais. No início da minha adolescência minha avó foi diagnosticada com Alzheimer. Quando eu tinha entre 14 e 15 anos ela começou, gradativamente, a esquecer do marido, dos filhos, netos, irmãos... Por sorte ou amor em excesso, eu fui, junto com minha mãe, uma das ultimas pessoas a serem levadas de sua memória. O relacionamento entre eu e meu avô chegou ao limite, afinal, ele não aceitava a doença da esposa e seu temperamento não colaborava em nada para a nossa convivência. Fiz por um curto período de tempo análise, mas acho que não foi suficiente para conter a mistura de emoções que se debatia dentro de mim. Raiva, frustração, medo, solidão... Tive crises de insônia por muito tempo e isso me acabava. Fora as crises de choro.

Comecei a namorar pouco antes de completar 18 anos. Nesse meio tempo prestei vestibular pro curso dos meus sonhos - jornalismo - na faculdade dos meus sonhos - a UFMG. E passei. Me mudei pra casa dos meus tios aqui em Belo Horizonte e um novo mundo foi sendo construído. Novos amigos apareceram e um universo distinto daquele com o qual eu estava acostumada. Ao mesmo tempo, a saudade de casa, da família e do namorado fizeram com que a tristeza fizesse morada em mim.

Fui me tornando mais impaciente e intolerante, me isolando das pessoas e tendo crises de choro constantes. Não sentia prazer em coisas simples, fingia estar bem quando não estava, fugia da companhia de qualquer pessoa que fosse. Lembro de um dia entrar debaixo do chuveiro pra tentar disfarçar o choro convulsivo que vinha dentro de mim. Eu tinha pensamentos constantes de suicídio. Mas nesse dia eu tive certeza de que precisava de ajuda.

Marquei uma sessão com uma psicanalista e lembro de mal conseguir falar de tão fragilizada que eu estava. Depois disso fiz uma consulta com uma psiquiatra que, por fim, me diagnosticou com depressão. Uma das primeiras coisas que eu aprendi é que a depressão é uma doença e que precisa de um tratamento adequado baseado no tripé: medicamento + atividade física + análise. Desde então, de forma gradual, fui aprendendo a lidar com isso, aceitando o fato de que eu preciso de ajuda, mas, antes de mais nada, de que eu preciso me ajudar.

É preciso entender que o principal sintoma da depressão é a chamada tristeza patológica. Em momentos difíceis como a morte de um ente querido, problemas amorosos, desentendimentos familiares, dificuldades financeiras, é um tanto quanto normal ficar triste. A diferença é que uma pessoa sem a doença consegue superar essa situação, quem tem não. Aliás, nos quadros de depressão a tristeza toma conta da pessoa independente de haver ou não uma causa aparente. Humor deprimido, desinteresse pelas atividades, até mesmo aquelas que antes davam prazer.

Cerca de 350 milhões de pessoas no mundo têm depressão, que varia de intensidade - leve, moderada e grave - e duração. E as mulheres parecem ser mais vulneráveis à depressão, principalmente por conta da oscilação hormonal. Os principais sintomas, além da tristeza patológica e da apatia já mencionadas, estão alterações no peso (ganho ou peso) e no sono (insônia ou sonolência excessiva), perda de energia constante, culpa excessiva, dificuldade de concentração, baixa autoestima e até mesmo alteração da libido.

Hoje eu aprendi a lidar com a depressão, e ela se tornou um problema muito menor pra mim e para as pessoas que eu amo. Mas foi preciso coragem pra, em primeiro lugar, aceitar que eu tinha um problema e que eu precisava de ajuda. Depressão não é frescura ou coisa de gente que tem a mente vazia. Depressão é uma doença que deve ser tratada assim como qualquer outra, e quanto antes melhor.

O que você achou? Conhece alguém que enfrenta esse problema? Compartilha seu depoimento com a gente no email projetovamosfalarserio@gmail.com.

Você pode sugerir o próximo tema e ser a personagem da próxima história.

Aqui embaixo vou deixar algumas indicações de leitura e um programa de rádio que eu produzi falando tanto sobre a depressão quanto outros transtornos afins:


 

Verdes, amarelos e cantantes!


O momento que estamos vivendo no Brasil é o famoso "Não está sendo fácil". A corrupção eu prefiro nem falar, que é pra não poluir meu post, e nem a nossa Seleção Brasileira de Futebol tem nos empolgado muito ultimamente né? (Neymar ainda te amo ta? XD). A confusão é tanta que me peguei pensando outro dia: "Será que ainda existe algo que realmente seja capaz de manter todos os brasileiros conectados e orgulhosos de nossa pátria, da mesma maneira como éramos há tempos atrás?". Eu particularmente tenho dois motivos que fazem com que essa minha ligação nunca chegue ao fim. A primeira é um pouco peculiar mas, graças a Deus, vem crescendo sua popularidade, que é o surf e todos os nossos representantes brasileiros que até tem o apelido de "Brazillian Storm" e me enchem de orgulho! O segundo, é o que vou compartilhar com vocês nesses post que é a música brasileira que atinge todos os gostos, estilos e nesse post, eu apresento os mais recentes lançamentos verdes, amarelos e cantantes que eu tenho certeza que vocês vão gostar!

Vou começar com o mais fofinho de todos! A música "Passarinhos" de Emicida e Vanessa da Mata,  mostra uma mistura entre estilos que da até vontade de sair voando mesmo. #LikeaDumbo 


Ainda na linha "Emicida", mas, agora já puxando mais pra algo balada, "Elas gostam assim" é a mais recente do rapper Projota com o eterno procurador da batida perfeita, Marcelo D2. Sério, que dupla maravilhosa!


E o pessoal lindo, literalmente, do Onze:20? Se você ainda não conhece, não sabe o que ta perdendo. Donos de letras incríveis e românticas, eles nos encantam com uma pegada reggae que sempre cai bem demais! O mais recente lançamento, é a "Querendo te encontrar" (Curiosidade: A mocinha do clipe é irmã do Neymar! Sim to meio Neymarzete hoje né? haha ai Deus!)


Eu já falei sobre esse fofinho do Tiago Iorc no último post mas, ele é tão bom que preciso indicar pra vocês o novo CD dele inteiro, que se chama "Troco Likes" e se encontra disponível no próprio canal oficial dele no youtube. Aqui, eu vou colocar a minha preferida, "Coisa Linda". 


Agora é o momento "eu admito e não tenho vergonha nenhuma". Você já cantou e gostou sim de NX Zero desde a época em que eles eram considerados "emo"! Pode admitir que eu deixo, e te digo mais, vocês vão amar eles ainda mais com os recentes lançamentos da banda que mostram a efetivação de toda essa fase de amadurecimento e crescimento que a banda vem passando nos últimos tempo. Minha opinião é que sempre foi bom e agora, ta melhor ainda! Eu indico pra vocês "Tira Onda" que é do EP "Estamos no começo de algo muito bom, não precisa ter nome não" e a outra é a "Meu Bem" do mais recente álbum da banda, "Norte". 



Se é pra falar de música brasileira, eu não poderia deixar de mencionar esse encontro de gigantes que é, Ivete Sangalo e Criolo cantando Tim Maia! Eu acho que nem preciso falar nada, só deixar vocês ouvirem...


Pra finalizar, como não falar do meu amado sertanejo e da minha dupla, mais amada ainda, Jorge e Mateus? Em um DVD de comemoração aos mais de 40 anos de carreira do grande Maestro Pinocchio, foi gravada a música "Pergunta Boba" que é mais um lançamento viciante!


Beijos, pensamento positivo e um Brasil mais verde e amarelo, assim como esse post, para todos nós!





Desejos de Menina © 2009 - 2015 - Todos os Direitos reservados
Volte sempre!