Eu não te respondo mais

07 julho 2016


Era tarde da noite e você me chamou como havia feito há alguns meses atrás, perguntou sobre a minha vida, queria saber se eu estava bem, pois bem, eu estava até o momento em que você reapareceu. Estava bem até o meu celular vibrar e a mensagem que eu abri ser sua. 

Você falou mais algumas coisas e eu ri da situação, ri por perceber o quão boba eu estava sendo de novo e ri porque você ainda me deixava nervosa, mesmo que você não tivesse mais efeito sobre mim, você me deixava nervosa.

No meio da conversa, que sempre dispensou apresentações, afinal, a gente se conhecia tão bem, eu percebi que eu já não te conhecia mais. Eu já não sabia mais com quem eu estava falando, não sabia mais se valia a pena ficar até a madrugada falando com alguém que não tinha mais o poder de mudar a minha vida. 

Te perguntei como você tava e você disse que estava tudo bem, que a vida estava seguindo e que você estava feliz. Nessa hora me perguntei o porque você havia me chamado e percebi que alguns espaços, por menores que sejam, sempre são difíceis de ocupar. Mesmo bem, você estava ali, buscando um jeito de falar comigo, um jeito de se sentir melhor.

Você buscava em mim, o que você não tinha naquela sua "felicidade" que era estampada nas fotos do Instagram e nas publicações do facebook, a felicidade que vai além das palavras e dos sorrisos pro outro ver. 

Você buscava ali, através daquela mensagem um jeito de ser a gente de novo, mesmo que por alguns segundos, você buscava o ombro amigo e o cafuné aconchegante, estava ali buscando um colo quente num inverno que não era tão frio quanto a vida que você estava vivendo. 

Por mais que o tempo tenha passado e as coisas tenham mudado, você buscava em mim um refúgio do mundo que você aceitou viver, mas eu já não estava mais disposta a ser alguém que você só viesse ver, eu já não tinha mais motivos para receber aquelas mensagens e muito menos para responder.

Li novamente a nossa conversa e tive ainda mais certeza de que eu já não te conhecia mais, você ainda era aquele bom rapaz, mas vivia uma vida que eu não queria mais. Deixei a mensagem sem resposta e a setinha azul te mostrarem que agora, já era tarde demais, eu não te respondo mais.

Doce Veneno, Capítulo 11

16 junho 2016


Eu amo esse lugar, mas ele é assombrado sem você
Meu cansado coração está batendo tão devagar
Nossos corações cantam menos do que nós queríamos
Nossos corações cantam porque... 
Nós não sabemos... Nós não sabemos

Os dias que seguiram foram mais difíceis pela barreira que Maysa impôs ao irmão. Caetano fazia o possível para conversar com ela, mas Maysa, como boa escorpiana que era, reagiu da pior forma. Por um lado, não sabia assimilar a descoberta da homossexualidade do irmão, por outro se sentia traída por ter sido a ultima a saber disso.
- Ju, como foi pra você quando cê descobriu que o Miguel era gay? - Maysa perguntou, tentando disfarçar o constrangimento lixando as unhas com certo desdém.
- Ah, Isa. Eu sempre soube.
- Como assim?
- Ele sempre teve um comportamento diferente, sabe?! Não que isso fosse ruim... Mas eu reparava que ele era muito sensível, muito apegado à mim, indo nos mesmos lugares que eu. Até aí, nada estranho. Só que além disso, ele saía mais com meninas que com meninas, gostava de moda e coisas que os meninos geralmente não curtem. Quando foi chegando na adolescência, eu comecei a perceber essas diferenças se acentuando e, mais que isso, eu reparei na forma como ele olhava os rapazes. Ele teve certa dificuldade de aceitação no início, mas isso foi resolvido com diálogo dentro de casa mesmo, sabe?! Até porque nossa mãe sempre foi muito de ter conversas abertas com a gente. Sexo, por exemplo, nunca foi tabu. Então eu acho que foi mais ou menos tranquilo, porque, de uma forma ou de outra, a gente já sabia.
Maysa ficou extremamente pensativa ao ouvir tudo aquilo. Claro, as realidades eram bem diferentes. A Marina, mãe da Júlia, era mãe solteira de dois jovens e sempre foi uma mulher de mente aberta. A relação entre mãe e filhos era de amizade verdadeira. Coisa que Maysa nunca teve.
Na verdade, o irmão foi meio que levado a tomar esse lugar quando a mãe faleceu, logo cedo. O pai dos dois sempre estava distante, pelos negócios em outras cidades e países, e com o passar dos anos cada um foi aprendendo a se virar. A condição financeira facilitou muita coisa para ambos. Mas não foi capaz de preencher o vazio ocupado pela mãe.
- Maysa, eu acho que você devia, pelo menos, tentar ouvir o Caetano. Eu não sei o que tá passando na sua cabeça, mas eu te entendo perfeitamente. Só não permita que essa confusão dentro de você te afaste dele. Porque, independente de qualquer coisa, ele é seu irmão, sangue do seu sangue, e mais que isso, te ama como ninguém.
O final de semana chegou e domingo seria o primeiro Dia dos Namorados que Maysa passaria com Cadu. O casal foi passar o sábado e o domingo num hotel fazendo fora da cidade. O local era lindo, com um lago na frente do hotel, um espaço para cavalgar e muitas árvores. Apesar do frio que fazia, os dois passaram a tarde cavalgando e desbravando um pouco daquele lugar incrível.
A noite, Cadu convidou Maysa para jantar. Ao final, já chegando no quarto, ela olhou no relógio e fez uma careta.
- O que foi? - perguntou Cadu
- Já é domingo.
- E o que tem?
- Dia dos Namorados.
- Qual o problema?
- Bem... Eu não comprei nenhum presente pra você.
- Ah, amor... Deixa de besteira.
- Na verdade, eu comprei pra mim.
- Não entendi.
Então Maysa puxou Cadu pelo cinto e jogou-o sobre a imensa cama branca. Fechou a porta e rapidamente se colocou na frente dele de novo.
- Eu comprei essa lingerie aqui - ela falava enquanto tirava o sobretudo e o vestido - Mas não tenho certeza se seria um presente à sua altura, sabe?! O que você acha?
- Uau...Acho que, no momento, eu não tenho palavras para descrever o quanto eu gostei desse presente. Mas posso tentar demonstrar minha gratidão de outra forma. Vem cá.

...

No dia seguinte, Maysa acordou um pouco mais cedo e pediu que entregassem o café no quarto. Enquanto arrumava a mesa, ligou a TV para ouvir o noticiário.

Ataque em boate gay deixa cinquenta mortos em Orlando nos Estados Unidos. É o pior ataque a tiros da história norte americana. O pai do suspeito diz que o crime provavelmente ocorreu por motivações homofóbicas.

- Meu Deus!
- O que foi amor?
Os olhos de Maysa se encheram de lágrimas que não podiam ser contidas. Ela pensou no sofrimento daquelas tantas pessoas dizimadas. Ela sentiu pela perda das famílias dos mortos. Mas naquele momento ela sentiu a dor pelo irmão, que era homossexual. Como alguém poderia ser tão cruel a ponto de tirar a vida simplesmente por não aceitar um dado comportamento? Com que direito alguém poderia violentar os outros de uma maneira tão estúpida e mesquinha? E se seu irmão estivesse entre eles?
- Podia ser o Caetano.
- Mas não é. Fica calma, tá?
- Cadu, eu preciso ir.
- Tudo bem. A gente toma café e vai. Pode ser?
Ela acenou afirmativamente com a cabeça.
Depois do café, eles pegaram a estrada e Cadu deixou Maysa em casa.
- Caetano? - Maysa berrou ao entrar em casa.
- Tô aqui, Isa.
Maysa correu para a sala e se jogou nos braços do irmão, o abraçando com toda força.
- Eu te amo, meu irmão. Me perdoe por não te aceitar como você é. Eu vou mudar, a partir de hoje. Me perdoe.
Os dois choraram abraçados por longos minutos.
Mas era um choro de reconciliação.
Um choro de amor.
Para iluminar a noite
Para nos ajudar a crescer
Para nos ajudar a crescer
Não é dito
Eu sempre sei

Sobre o relacionamento miojo e ser feliz sozinho

25 maio 2016


Um dia desses me perguntaram "E ai, você não tá com ninguém?" e eu como sempre, na maior calma do universo e com a maior naturalidade do mundo respondi "não", a pessoa não satisfeita com a minha resposta perguntou "mas você não precisa de ninguém?", fiquei em silêncio, deixei passar e fui embora pensando naquela frase "você não precisa de ninguém?".

A verdade é que ninguém nessa vida precisa de ninguém, a gente gosta de estar com alguém, mas precisar, não precisa. Somos nós os únicos donos da felicidade e não precisamos de um relacionamento para nos apoiar, claro que é sempre bom ter alguém pra dividir momentos bons e momentos ruins, mas isso não é uma regra, ninguém tem a obrigação de ficar com ninguém só por medo de ficar sozinho.

O que eu quero dizer é que as pessoas tem sentido tanto medo de ficar "sozinho" que tem aceitado ficar com qualquer pessoa, um tapa buraco, sabe? Relacionamentos começam e terminam todos os dias por vivermos numa época em que os "relacionamentos miojo" estão sendo cada vez mais comuns. 

Relacionamentos esses que surgem rápido, que em pouco tempo vira um "amor da vida". Veja bem, não estou dizendo que você não pode trombar com alguém por aí, se apaixonar loucamente e descobrir que aquela era finalmente a pessoa que você esperou tanto tempo. Estou apenas dizendo que isso é tão incomum nos dias de hoje que a gente sempre tromba com a pessoa errada, porque as pessoas certas estão sendo o estepe de alguém.

Portanto meus caros, o que eu quero deixar claro pra vocês é que ninguém precisa de ninguém, ninguém precisa de um relacionamento miojo, ninguém precisa depender do outro para ser feliz, nós precisamos andar com as nossas próprias pernas. Precisamos ser felizes sozinhos para que a gente não se sinta só. 

De nada adianta a gente viver a felicidade do outro e não ser capaz de viver a nossa própria. Por mais estranho que isso seja aos olhos dos que sempre dependem de alguém, precisamos nos bastar. Precisamos ser o copo cheio e encontrar alguém para nos transbordar, porque ninguém nesse mundo merece ser sempre o copo meio vazio, muito menos o coração meio vazio. 

Se preencha de amor e seja sempre o amor da sua vida, afinal a pergunta que fez tanto barulho dentro de mim, merecia uma resposta curta e objetiva: Eu não preciso de ninguém e espero que você não precise também, porque quando a gente precisa de alguém a gente aceita o que vem.

O cara que eu quero pra mim

06 maio 2016


O cara que eu quero pra mim não tem nada a ver com essas caras de filme que a gente vê por aí. O cara que eu quero pra mim é um cara que me faça feliz, que me surpreenda, que esteja disposto a estar comigo até nos momentos que eu não mereça ninguém ao meu lado.

Um cara que me compreenda, me incentive a ser cada vez melhor, um cara que seja sempre um bom momento na minha vida, um cara que seja a pessoa que eu sempre quis. Um cara que não queira que eu mude, um cara que não deseje que eu seja uma outra pessoa para gostar de mim.

Ele precisa ser apenas ele... Precisa gostar de me ver acordar descabelada logo pela manhã, precisa saber que hora ou outra eu posso ter uma crise de ciúme bobo mas que isso não significa que não tenha confiança. Esse cara precisa saber que eu tenho mania de fazer dietas loucas e que gosto de saber como é que o tempo vai estar no dia.

O cara que eu desejo pra mim é simplesmente um cara, com todos os defeitos e qualidades que tiver, mas que acima de tudo saiba que pra mim, ele sempre será O cara. Quero que ele confie no que eu disser pra ele e que ele goste da minha risada que ás vezes parece um porco.

Quero que ele saiba que eu vou amar ele do começo ao fim, que vou amar os defeitos, porque são eles que fazem ele ser um cara instigante e vou amar todas as qualidades, que são elas que fazem dele um cara incrível. Quero que ele goste de assistir filmes aos sábados a noite e que aos domingos de manhã goste de sair de casa para ver o dia. 

Mas acima de tudo, o cara que eu quero pra mim tem que saber que acima de tudo vou querer estar com ele, mesmo que ele não tenha todos esses pré requisitos. O cara que eu quero pra mim vai aparecer na hora que tiver que aparecer e do jeito que tiver que ser porque eu sei que o melhor, vem quando a gente menos espera.

Doce Veneno, Capítulo 10

03 maio 2016


Vim pra lhe encontrar, dizer que sinto muito
Você não sabe o quão amável você é
Tenho que lhe achar, dizer que preciso de você
E te dizer que eu escolhi você
Conte-me seus segredos, faça-me suas perguntas
Oh, vamos voltar pro começo
Correndo em círculos, perseguindo a cauda
Cabeças numa ciência à parte

Um sentimento estranho subiu ao longo do corpo de Maysa. Como que instantaneamente correu para a área de serviço e encheu um balde d'água. Correu de volta para o quarto do irmão e despejou a água fria sobre o corpo semi-nu de Flávio.
- TOMA ISSO, SEU CANALHA! - berrou ao tirar a coberta que envolvia os dois e jogar a água por cima de Flávio - COMO VOCÊ PODE FAZER ISSO COM MEU IRMÃO? SE APROVEITAR DA FRAGILIDADE DELE? E PIOR, SE APROVEITAR DA MINHA BOA VONTADE?
Caetano acordou com os gritos e alguns respingos da água molhando seu lado da cama. Flávio já estava de pé, se recuperando do susto e tentando acalmar Maysa
- Maysa, eu posso explicar... - enquanto ele se aproximava, ela recuava cada vez mais
- FORA DAQUI!
- Mas Maysa, eu...
- FORA DAQUI! AGORA! - ela voltou na sala, pegou os sapatênis e jogou com toda força contra Flávio. - PEGA SUAS COISAS E SAIA DAQUI AGORA!
Ele vestiu a calça e pegou uma mochila que estava jogada num canto do quarto, a blusa e os sapatênis e saiu as pressas.
- E quanto a você, Caetano... Que decepção! - Maysa bateu a porta com toda a força que a parede pareceu estremecer por alguns instantes.
Entrou em seu quarto, trancou a porta e abriu a torneira da banheira. Enquanto esperava encher, se debruçou sobre os travesseiros na cama e começou a chorar convulsivamente. Afinal, o que estava acontecendo? Não sabia mais quem era seu irmão, afinal?
- Maysa, abre a porta - Caetano chamou em tom baixo
- Vai embora! - respondeu, chorosa
- Por favor, vamos conversar...
- Eu não tenho nada pra falar com você
- Isa, minha irmã...
- Eu não sou mais sua irmã. Vê se esquece que eu existo!
Com isso, Caetano desistiu de conversar e voltou para o quarto.
Quando a banheira já estava quase cheia, Maysa se afundou na água, como que para tentar fugir daquilo tudo. Não sabia lidar com o fato de que seu irmão era homossexual.
Sempre pareceu algo tão normal, tinha amigas que tinham parentes assim. O irmão mais novo da Júlia, por exemplo. Mas aquilo não parecia ser tão normal quando se tratava do seu irmão. Desde quando? Ele nunca aparentou, afinal. E eles sempre foram tão unidos. Por que ele nunca contou? Por que não teve confiança na irmã para se abrir com ela?
Tudo aquilo ia martelando na cabeça de Maysa e nem a água quente conseguia fazer com que a sensação de perda de chão passasse.
Já enrolada no roupão, pegou o celular e viu algumas chamadas perdidas de Cadu.
Enviou uma mensagem dizendo que já estava em casa. Ele respondeu na mesma hora, perguntando se estava bem e como estava seu irmão. Respirou fundo, afinal de contas, ele não tinha nada a ver com aquela situação absurda. "Tô bem, te ligo a noite. Beijo", foi o que conseguiu responder.
Quando a fome apertou, saiu na ponta dos pés até a cozinha. Colocou no micro-ondas uma lasanha dessas congeladas. Lembrou do irmão, então dividiu-a no meio quando já estava pronta. Pegou uma lata de refrigerante na geladeira e uma barra de chocolate que tinha escondido detrás do armário. Colocou numa bandeja seu prato, talheres, guardanapo, o refrigerante com canudinho e o chocolate.
Ao virar-se para voltar para o quarto, Caetano a observava da porta.
- A gente pode conversar?
Maysa deu de ombros - Não tenho nada pra conversar com você. - e saiu.
Antes que ele conseguisse chegar perto, ela já entrara no quarto e se trancou novamente.
Agora, já com o estômago cheio, Maysa começou a distinguir um, dentre os vários sentimentos que a envolviam naquele momento: sentia-se traída.
E apesar do chocolate que comia com voracidade, o gosto daquilo tudo era bastante amargo.

Ninguém disse que era fácil
É uma pena nós nos separarmos
Ninguém disse que era fácil
Ninguém jamais disse que seria tão difícil assim
Oh, me leve de volta ao começo

Novidades Novidades e mais Novidades!

29 abril 2016

Não sei se vocês já notaram mas existe um movimento no mundo da música de "partiu quebrar tudo ao mesmo tempo lançando álbuns novos, featurings que todo mundo sempre quis e zerar a brincadeira de vez?". 

Sim, isso existe e sim, terei até que me concentrar em dobro, para não deixar de mencionar nenhuma das grandiosidades que vem sendo lançadas nos últimos dias. Vem comigo que ta bonito de se ouvir gente! 

LEMONADE - Beyoncé 

Queen B is back babys! E voltou, como já era de se esperar, em uma super estreia lacradora. O lançamento aconteceu nada mais nada menos, do que após a exibição de um especial no canal HBO e é claro que o mesmo, juntamente com o álbum, se encontram disponíveis única e exclusivamente no Tidal (plataforma digital de streaming, bem parecida com Spotify, porém com a diferença de que o dono do Tidal, é nada mais, nada menos que Jay-Z). Bom, no momento só há o trailer para compartilhar com vocês mas, minha dica é de que todos escutem, assim que possível, essa maravilhosidade. 


This Is What You Came For - Calvin Harris feat. Rihanna

Desde a minha mais que amada "We Found Love", que eu aguardava por mais um featuring desse dois. Esse dia chegou e já podemos conferir essa lindeza de música e torcer, para que ele comece a tocar logo por todas as baladas da vida né? 


Pegando o gancho no assunto "Rihanna", essa linda também lançou recentemente, o clipe de "Kiss It Better" e "Needed Me", ambas do sensacional álbum ANTI e ela não parou por aí, pois também já está entre nós, "Pablo", o novo álbum do polêmico (mas que amamos sim) Kanye West e na minha opinião, a melhor música é "Famous" que conta com a participação da Riri. 




Melhor Assim - Biel feat. Ludmilla e Ainda Há Tempo - Criolo 

Dando uma passadinha pelas novidades brasileiras, meu primeiro destaque vai para esse featuring que a gente sempre aguardou né? Até porque, pra quem não sabe sempre rolou uma brincadeirinha entre Biel e Ludmilla, de falar que rolava um romance entre eles e tals. Dito e feito, aí está "Melhor Assim". Ps: O álbum "Juntos Vamos Além" já está completo e lindo no Spotify ;) 


Meu segundo destaque, vai para esse cara que é um verdadeiro poeta e que tem sempre o dom de traduzir perfeitamente bem, tudo o que penso com relação ao momento que estamos vivendo atualmente em nosso país. "As pessoas não são más, elas só estão perdidas, ainda há tempo!". Obrigada Criolo s2. 


Views From the 6 - Drake

Mais um álbum que saiu do forno na data de hoje! Depois de dois anos de espera, está entre nós "View From the 6" do charmosérrimo Drake. Meus destaques vão para "Pop Style", que conta com a participação de Jay-Z e Kanye West e a deliciosa "One Dance". O álbum completo já está disponível no iTunes e para escutar as duas música que mencionei, é só clicar nelas ok? 

Not Today - Imagine Dragons e Bored to Death - blink-182

No mundo do rock (sendo Imagine Dragons algo mais Indie/Alternative rock e blink-182 punk rock), temos dois lindos lançamentos! "Not Today" vai fazer parte da trilha sonora do aguardado filme "Me Before You" e ficou super amor. Já "Bored to Death" é como me sentir entre 12 e 15 anos novamente, tenho nem palavras pra descrever essa emoção de ter o blink de volta (Mesmo que seja sem o Tom DeLonge, mas ok). 



Ufa! Haja coração pra tantos lançamentos abigos! Espero que vocês tenham gostado e como hoje é sexta-feira, me sinto mais que na obrigação de deixar três músicas (que também são novidades claro)  pra já dar aqueeeeela cara de fim de semana ;) Beijo gente!







Desejos de Menina © 2009 - 2015 - Todos os Direitos reservados
Volte sempre!