Aquilo que chamamos de amor ( capítulo I )

20 outubro 2010

 Capitulos seguintes >> II, III, IV, V, VI, VII, VIII, IX, X, XI

Dormir estava cada vez mais difícil, meus pensamentos eram somente nele, eu não conseguia fazer nada, fechar os olhos me fazia ver ele, é, eu precisava mudar isso, eu não sabia como, mas eu ia mudar. Meus olhos começaram a se fechar e então, eu adormeci.
Acordei tarde como de costume, era um sabádo de sol, resolvi me arrumar e sair, peguei meu Ipod no meio daquela bagunça que eu chamo de quarto, conectei ele na caixa de som e coloquei minha música favorita "Realize - Colbie Caillat", enquanto ouvia organizava meu quarto, arrumei minha cama e fui escolher minha roupa. Vestido curto e all star - perfeito - me olhei no espelho, meus cabelos estavam do mesmo jeito de sempre, bagunçado.
Desci até a cozinha, peguei meu cereal, coloquei leite e comi, minha mãe ouviu que eu estava na cozinha e me chamou, como sempre, ao gritos.
- Juliaaaaaaaaaaaaaaaaaaa, vem aqui!
Sim, minha mãe era escandalosa e eu odiava quando ela me chamava, ela achava que eu era a empregada dela, mas eu fui, afinal, ela é mãe.
- Oi mãe - fala logo, quero sair. Pensei, mas não falei.
- Que tal uma piscina com a mamãe hoje?
- Mãe, estou saindo, se eu voltar e você ainda estiver aqui quem sabe...
- Onde você vai julia?
- No parque onde mais eu iria?
Virei as coisas e fui pegar minha bolsa no quarto, ao dar aquela olhadinha básica no note vi que tinha recebido um convite no msn.
       Breno Bastos; aceitar ?
Por via das dúvidas aceitei , vai que era algum conhecido. Peguei a bolsa, o celular e saí, fui a pé, afinal, pra quem mora no interior como eu, tudo é perto. Demorei uns 20 minutos e estava no parque, aquela grama, aquele lago, estava tudo tão perfeito que eu me arrependi de falar que odiava minha cidade. Continuei andando até a ponte de madeira, olhei para o banco que eu sempre sentava mas ele estava ocupado, olhei bem e vi ele, Derik, ele estava lá, sentado acenando para mim. Derik? No parque? O que estava acontecendo?
Caminhei até o banco e sentei do lado dele.
- Oi Ju.
- Oi Derik, o que você está fazendo aqui?
Derik era lindo, charmoso, moreno, cheiro e fazia meu tipo, desde quando eu tinha 11 anos eu o amava, estava pensando em o que o tinha levado até la quando ele me tirou do meu blá-blá-blá interno.
- Ouviu o que eu disse Ju?
- Ah, não desculpa, estava pensando... - Como ele era lindo, como aquele sorriso me encantava.
- Vim aqui porque eu sabia que iria te encontrar. E acredite ou não eu precisava te ver.
Me ver, ele disse isso? Ele precisava me ver?  Meu Deus, aquilo era um fato histórico, dia 23 de abril devia ser feriado nacional, ok, eu exagerei, mas Derik Moreira não diz pra qualquer uma que precisa vê-la.
- Me ver? Porque?
- Ju, você sabe que eu sempre quis ficar com você, mas de uns tempos pra cá eu comecei a sentir algo a mais.
Fiquei muda, mil coisas começaram a ser passar na minha cabeça, eu gostaa dele fazia tempo e ontem a noite eu tinha decidido que iria pensar de pensar nele.
- Ah, Derik, você me pegou de surpresa, eu nunca pensei que você fosse gostar de mim.
Derik olhou para mim de canto de olho e deu um sorrisinho de canto de boca que deixa qualquer menina louca.
- Ju, olha pra mim.
Olhei para ele, seus olhos me fitavam, ele foi se aproximando de mim, ele estava tão perto que eu conseguia sentir sua respiração, ele me beijou. (...) Continua (...)

7 comentários:

  1. aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah, vicieeei neesse blog !!
    Eu queero leeer o proximo capitulo dessa históriiaaaaaaa!

    ResponderExcluir
  2. aaaaaaaaaaaaaaaai que lindo sério *-* deemais, vou ler a continuaçao rere ;x @pllfrases

    ResponderExcluir
  3. [AAAAAAAAAAAAAAAAAA] Eu ameeeei *-* agora quero o proximo capitulo *-*
    @Carol_Carvallho

    ResponderExcluir
  4. muuuuito lindo, vou ler toda a continuação agora ! *-*

    ResponderExcluir
  5. Meu Deus alguma coisa me diz que eu já sei qual é o final dessa história. Haha.

    ResponderExcluir

Desejos de Menina: Aquilo que chamamos de amor ( capítulo I ) © 2009 - 2015 - Todos os Direitos reservados
Volte sempre!