Invisível (capitulo quatro)

25 janeiro 2011

- Essa é minha filha, Laís - ela me apresenta para alguém que eu ainda não sei quem é.
- Uau, que menina mais linda - diz a mulher que estava lá.
- Obrigada - respondo, sem jeito.
- Então filha, essa é a Alexandra Barros, a estilista que eu te falei do curso, lembra? - pergunta.
Claro, ain burra burra, eu estava dooooooooooida para fazer o curso com ela, como eu fui me esquecer, anta. Sério, só eu mesmo, é o sono. Poxa, acabei de acordar, ainda não está na hora de raciocinar, né.
- Óbvio que lembro - fui convincente.
- Peguei seu caderno de desenhos, filha - ela faz aquela carinha de criança quando faz algo errado.
- Mãããããããe - tento não fazer escândalo.
- Eu também odiava quando a minha mãe fazia isso - diz Alexandra e caímos na risada.
Depois que ela me explicou que tinha pegado para mostrar para a Alexandra, e que ela tinha amado meus desenhos, fiquei menos brava.
Fui conhecer o espaço, babar nas máquinas de costura perfeitas da A.B. (Alexandra Barros), desejar que um dia eu fosse assim, tão importante quanto ela.
- Você está convidada para participar do curso, Laís - A.B. diz, sempre diva.
- Convidada? - pergunto.
- Sim. Sei que é o que você ama fazer e tenho o enorme prazer de te ensinar sem cobrar nada - ela termina.
Não, desculpa, assim não dava para ser. Era um super curso, com materiais incríveis e tudo mais, não ia deixar ser de graça.
- É uma honra, mas eu não posso aceitar. As coisas não podem ser assim tão fáceis. Eu prometo que sempre ficarei aqui para te ajudar na limpeza, faço supermercado, compro os materiais, o que você quiser, mas de graça, não - proponho.
- Fechado - ela diz, rindo e estendendo a mão.

-Lipe, você ouviu? Você viu tudo o que se passou naquela sala? Você tem a amiga mais feliz do muuuuuuuuuuundo! - pulo em cima dele e dou-lhe um abraço.
- Eu vi, bonitona, torço por você - ele retribui o abraço.
Mamãe nos levou de volta para casa e depois foi trabalhar.
- La, acho que eu estou voltando para casa - diz Lipe.
- Mas já? - faço uma carinha triste.
- É, tenho umas coisas para resolver e já te dei muito trabalho - ele ri e se dirige à porta.

Ok, nada para fazer, computador dando sopa, hm.
Fred diz:
oi perfeita
Laís diz:
janela errada, amore haha
Fred diz: 
tenho certeza que não
Laís diz:
ain, que vergonha
Fred diz:
fico imaginando você com vergonha, deve ser mais linda ainda
Laís diz:
*vergonhaaoextremo*
Fred diz:
ah que fofa haha
Laís diz:
aah para $:
Fred diz:
deixa uma vez só eu te chamar de linda e você concordar?
Laís diz:
desculpa
Fred diz:
não tem porque pedir desculpas
Laís diz:
er
Fred diz:
então, me conta. o que você fez hoje?
Laís diz:
nossa, você nem sabe, vou fazer curso com uma das melhores estilistas *-*
Fred diz: 
uaaau, parabéns, não sabia que você gostava de moda
Laís diz:
tem muita coisa que você não sabe de mim haha
Fred diz:
hmm
Laís diz:
calma, fica com medo não
Fred diz:
não estou haha
Laís diz:
nossa, preciso almoçar, bjbj
Fred diz:
beijo, linda

É, ele era tão fofo, mas eu precisava almoçar. Ainda tinha que passar na casa do Felipe e depois ir direto para o ateliê, meu trabalho começava hoje e eu estava megahiperultra animada.

- Lipe, posso entrar? - pergunto ao bater.
- Claro, estou aqui no quarto - ele grita.
- Então, precisava falar comigo? - digo.
- Sim, mas você está com pressa? - fala.
- Estava indo para o ateliê - respondo.
- Então deixa que eu falo depois - faz uma carinha irresistível.
- Mesmo? - pergunto.
- Mesmo mesmo, vai lá e boa sorte no trabalho - me dá um beijo e eu saio.

Entro no ateliê e não acredito no que vejo.

(continua) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desejos de Menina: Invisível (capitulo quatro) © 2009 - 2015 - Todos os Direitos reservados
Volte sempre!