Invisível (capitulo seis)

31 janeiro 2011

Cada vez que olho para trás, a pessoa parece se esconder de mim. Começo a ficar com medo, ando mais rápido, ele me segue. Já tinha percebido que era um homem, ele vinha atrás de mim. Quando comecei a correr, ele também corre e me segura.
- Me solta! - grito.
- Ei, calma, sou eu - diz Guilherme.
- Que susto que você me deu, por que tá correndo atrás de mim? - pergunto, ainda com medo.
- Te achei irresistível - fala com a maior tranquilidade.
O medo dá espaço para a vergonha. Ainda assim tinha alguma coisa nesse menino que eu ainda não havia entendido o que era, alguma coisa que me dava medo, mas eu gostava desse medo.
- Preciso ir - digo - tchau, Guilherme.
- Meu nome é Felipe - diz e sai.
Desculpa, não tinha captado aquelas últimas palavras. Felipe? O nome dele era Felipe? Por que ele mentiu pra mim? E o pior, eu já estava completamente apaixonada.
Cheguei em casa, joguei uma água no corpo para ver se esfriava a cabeça e fui para o computador; eu ainda tinha um Fred para ver.
Fred diz:
pensei que você não vinha hoje
Laís diz:
é, tive um dia cheio. tudo bem com você?
Fred diz: 
não muito, tem uma coisa que eu preciso te contar.
Laís diz: 
o que?
Fred diz:
é que...

- Laís, nada de computador por hoje, já conversamos sobre isso - minha mãe grita, brava, da sala.

Laís diz:
desculpa, vou ter que sair, depois a gente conversa, desculpa mesmo. te amo.

- Mas mãe... - tento.
- Nem começa - ela me corta.
Parece que quando tem que dar errado, é tudo ao mesmo tempo. Tentei ligar para o Felipe, meu amigo, mas ele não atendeu. Resolvi dormir, era o que me restava.
Sonhei. Tive um pesadelo horrível. Tinha um carro, um acidente, não lembro. Acordei mal.
O resto do meu final de semana se resumiu a nada. Fui proibida de ligar o computador e não estava nem um pouco afim de sair de casa.

- É hoje - alguém pula no meu pescoço
- O que, Lipe? - pergunto, super desanimada.
- A Pâmella! - ele estava tão feliz que nem percebeu meu desânimo.
- Ah - falei e sai.
Eu já estava sentada na sala de aula, quando eu vejo todo mundo saindo, correndo lá para fora, um barulhão e um helicóptero pousando no pátio da escola.

(continua)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desejos de Menina: Invisível (capitulo seis) © 2009 - 2015 - Todos os Direitos reservados
Volte sempre!