Broken (Capitulo IV)

17 fevereiro 2011

 Sn158565_large 

Verdades e escolhas 

Várias coisas se passavam na minha cabeça, mas nada de muito preocupante, afinal, minha mãe estaria ao prantos se fosse algo de sério.
- Você sabe que eu e seu pai sempre tivemos um sonho de morar aqui, e nós achamos que está na hora, seu pai está com uns problemas, nada de grave, mas ele quer ficar por aqui.
- Oi? - meu desespero estava estampado em minha cara, é obvio que eu não queria morar naquele fim de mundo no meio de um monte de vaquinhas e ar puro. - Eu não vou morar aqui, não mesmo! E que problemas são esses do papai ? Porque vocês não me contam ? - minha voz saiu como um grito.
Luan me abraçou, aquilo fez com que eu me acalmasse, como era bom ter ele por perto, ainda mais naquelas circunstâncias.
- Não é nada sério, é só um problema com a respiração, mas o médico disse que melhora se ele ficar longe de tanta poluição.
- Vocês não estão me escondendo nada? - perguntei olhando nos olhos de Luan, se ele estivesse escondendo algo de mim, eu saberia.
- Não. - minha mãe e Luan responderam juntos.
- Ok, vou pro meu quarto, preciso pensar nessa proposta maluca de morar com vacas no quintal.
Luan e minha mãe deram risada, meu pai só me olhou e fez que sim com a cabeça. Levantei e fui para meu quarto, Luan veio atrás de mim, eu sabia o que ele ia falar, mas esperei ele dizer só pra ouvir novamente.
- Lu, vamos embora comigo, vai ser melhor pra você...
- Desde que você chegou, eu tenho pensado na sua proposta, mas agora, todas essas novidades da minha mãe me fizeram decidir que talvez seja melhor eu ir com você.
Seus olhos me olhavam com curiosidade, ele me puxou, me abraçou e sussurrou no meu ouvido.
- Você não vai se arrepender.
Levantei a cabeça e o olhei, ele estava diferente, porém, era o mesmo de sempre, só que bem mais bonito do que eu estava acostumada a ver, e bem mais forte do que eu podia imaginar. Além de que seus braços agora me seguravam de uma forma diferente, mais firme.
- Luan, se você não se incomoda, eu preciso tomar um banho. Pode ficar aqui no quarto, eu já venho!
- Vá tomar seu banho gatissima, estarei esperando por você, juro.
Dei risada, as vezes ele era tão bobo que eu não entendia o porque era tão importante pra mim, mas então eu me lembrava que ele foi o único que nunca me deixou, e isso pesava muito mais do que todas as frases cheias de segundas intenções que ele dizia.
Sai do quarto, entrei no banheiro e liguei o chuveiro, deixei a água cair por um minuto e então entrei debaixo dela tentando afogar meus problemas e minha vontade de ver Gabriel de novo, o mais estranho era que aquela tinha sido a primeira vez que eu me lembrava de Gabriel desde que Luan havia chegado, pode parecer estranho, mas ele era meu remédio.
Terminei o banho, me vesti e fui para o quarto. Cheguei lá e meu celular estava tocando na mão do Luan.
- Quem é?
- Adivinha ? - ele disse dando risada.
- O Ga... - comecei a falar e então ouvi a voz de Luan.
- Alô? - a voz era séria, mas a cara não.
Olhei assustada e vi que Luan estava dando risada bem baixinho para Gabriel não ouvir. Sentei do lado de Luan e comecei a ouvir parte do que Gabriel dizia.
- Quem é? Quer saber, dane-se... Se aquelazinha já está com outro eu vou fazer o mesmo, quero que ela se dane e que você se dane também, fala pra ela que eu já esqueci ela, e que eu nunca gostei dela, NUNCA.- ele gritou e desligou o telefone.
Olhei para Luan, meus olhos estavam cheios d'água, não sei porque, mas aquelas palavras tiraram um peso de cima de mim.
- Vai ficar tudo bem - ele disse me abraçando
- Eu sei, eu sei...
Sua mão segurou meu rosto me fazendo olhar para ele, sua boca se aproximou e beijou minha bochecha.
- Luan, vamos contar para minha mãe que eu vou com você.
- Você acha que já está na hora de contar?
- Sim, quanto antes, melhor. Assim dá tempo de arrumar as coisas antes de ir.
Saímos do quarto e meu pai e minha mãe estavam terminando o almoço.
- Oi casal - disse minha mãe toda animadinha.
- Não somos um casal mãe, somos amigos.
- Ok filha...
- Mãe, a gente tem que contar uma coisa pra você e pro papai..
- Pode contar, estamos ouvindo.
- Eu vou pra Nova York com o Luan.
Minha mãe virou e me olhou, ficou me encarando e não demorou muito para ela dizer o que ela achava.
- Eu já sabia, eu tinha certeza que você iria...
Dei risada, na verdade, até eu tinha certeza, só não queria que Luan achasse que eu ia fácil pra lá.
- Ah, que bom né, assim a gente pode ir o mais rápido possível..
Luan andou até o lado de meu pai e os dois começaram a conversar uns assuntos de homem do qual eu não fazia questão nenhuma de ouvir ou até mesmo entender. Minha mãe me puxou para o canto e começou a tagarelar coisas que não faziam tanto sentido, e outras que faziam sentido mas eu fingia não perceber.
- O Luan gosta de você mais do que como amigo Luisa, você sabe disso.. Ele foi embora para não te ver com o Gabriel e não sofrer.
- E porque ele voltou agora? Ele não sabia que eu e o Gabriel havíamos terminado.
- Ele voltou porque agora ele tinha certeza que queria lutar por você.
Parei e fiquei pensando, aquilo fazia sentido, mas eu preferia não ter que perguntar para Luan se era ou não verdade.
- Está pronto o almoço - meu pai disse colocando aquela maravilhosa costela assada na mesa, sentamos os quatro e começamos a almoçar.
Conversamos e rimos bastante, Luan contou o que fazia em NY e disse que já sabia o que eu faria por lá. Depois de algum tempo levando a louça, fui para o quarto tentar achar um modo de conectar a internet no meio do nada.
Estava quase tendo uma crise quando Luan entrou no quarto.
- Lu, eu preciso te falar uma coisa, que eu nunca te disse, mas agora eu quero e preciso dizer...
- Ok, pode falar enquanto eu tento achar um sinal de internet por aqui.
- Lu, quando eu fui embora...

(Continua)

Por: - @pamellapaschoal 

Um comentário:

  1. Oláa !
    Gostei do seu blog.
    Visite o meu:
    http://xxx-memories-xxx.blogspot.com/
    Beijoos ♥

    ResponderExcluir

Desejos de Menina: Broken (Capitulo IV) © 2009 - 2015 - Todos os Direitos reservados
Volte sempre!