Broken (Capitulo V)

20 fevereiro 2011

  Tumblr_lgruo50u6y1qh6ksno1_500_large 

Oportunidades e vontades

- ... eu fui disposto a te esquecer, eu não queria mais sofrer, não queria mais ver você com o Gabriel, então eu decidi ir.
- E porque você voltou agora? Eu ainda estava com o Gabriel, você ia ver a gente junto da mesma maneira de antes de você ir...
- Porque eu voltei agora? Porque eu estava disposto a lutar por você, mas parece que o destino facilitou minha vida, eu cheguei aqui e não precisei lutar.
Meus olhos ficaram cheios d'água, abaixei a cabeça e comecei a pensar o quanto fui burra de não ter percebido antes, ou então, de não ter sentido o que eu estava sentindo agora. Levantei a cabeça e olhei para Luan, ele estava de frente pra janela olhando para o gramado.
- Luísa, vamos lá fora...
Levantei e sai do quarto, estávamos andando pelo meio do gramado e ele parou de andar e continuou a falar.
- Agora eu estou aqui com você, e sabe o que é o pior? Eu não ser igual aos outros caras.
- Porque? - perguntei sem entender o que ele quis dizer com aquela frase.
- Porque se eu fosse igual eles, eu já teria te agarrado e te beijado, sem saber se era isso mesmo que você queria, mas não, eu não faço isso, porque eu te respeito, porque eu te amo...
Eu sempre gostei do Luan como amigo, mas tudo o que ele estava dizendo me deixou balançada, ele era diferente dos outros mesmo, talvez por isso eu nunca o olhei com outros olhos.
- Luan, eu não sei nem o que te falar, você é importante pra mim, mas ...
Um barulho de carro estacionando fez com que eu parasse de falar para olhar o que estava acontecendo, e para a minha surpresa de dentro de um carro azul desceu Gabriel, todo bravo gritando meu nome.
- Luisa, vem aqui agora - gritava como se eu fosse a filha dele que estivesse fugido de casa.
Olhei para Luan que saiu andando na minha frente em direção a Gabriel, corri para acompanhar seus passos rápidos e decididos.
- O que você quer aqui? - a voz de Luan era firme, e ao ouvi-la senti um arrepio pela espinha, como um pressentimento.
Gabriel foi para cima de Luan, mas o grito de minha mãe fez ele dar vários passos para trás.
- O que vocês estão pensando ? - minha mãe perguntava gritando e completamente transtornada com a situação.
- Desculpa Dona Laura, mas eu não aguentei ligar para a Luisa hoje e ouvir um homem atender o telefone. - Gabriel disse com a voz mais calma.
- E você acha que eu gostei de ver você com outra né Gabriel? Não sei nem o que você veio fazer aqui, eu não quer mais olhar na sua cara, não quero mais ouvir sua voz dizendo o meu nome, eu não quero mais lembrar que você existe, agora vai embora daqui, por favor.
Minhas palavras deixaram todos assustados, minha mãe e meu pai por não estarem sabendo do acontecimento, e Luan por achar que eu iria correr para os braços de Gabriel ao vê-lo de novo.
- Mas Luisa...
- Não tem essa de mas... é isso é acabou. Agora vai embora daqui! Vaaaaaaaaaaaaaaai - gritei.
Gabriel entrou no carro, colocou o cinto e foi embora.
Depois daquela cena lamentável corri para o meu quarto e tranquei a porta.
- Luisa, me deixa entrar... - Luan estava pedindo e dando batidinhas de leve na porta.
- Não, eu preciso ficar sozinha aqui.
- Tudo bem, eu entendo.
Ouvi seus passos pelo corredor, senti um alivio de perceber que ele tinha entendido e então encostei a cabeça na porta mergulhando em meus pensamentos. Depois de alguns minutos ouvi passos no corredor de novo, fiquei quieta para ouvir o que iriam falar, mas não disseram nada.
- Luan é você?
Não ouvi nenhuma resposta, só uma respiração. Esperei para ver se falavam algo e nada de novo. Desisti de tentar saber quem era, até que um bilhete entra por debaixo da porta.
"Posso entrar?"
Era a letra de Luan, não aguentei e comecei a dar risada.
- Não. - respondi ainda rindo.
Outro bilhete apareceu.
"Tem certeza disso Srta.?"
- Não também - estava rindo com a situação.
Levantei e abri a porta, do lado de fora Luan me esperava com um outro papel na mão escrito a seguinte frase.
" Eu sabia que você iria abrir, você não resiste a mim."
- Você é muito bobo sabia? - disse enquanto ia abraçá-lo.
- Eu sei, sempre ouvi isso. - ele disse colocando seus braços ao meu redor.
- Luan? ...
- Fala minha linda... - sua voz era calma mas sua respiração não.
- Nesse tempo que eu fiquei aqui sozinha, eu percebi que eu senti sua falta, muito mais do que quando você estava longe...
Enquanto eu falava ele ia me abraçando mais forte, suas mão acariciavam minhas costas e sua boca beijava meus cabelos.
- eu não quero mais ficar longe de você, nunca mais.
Ele parou de me abraçar, seu corpo se afastou do meu, sua mão segurou meu rosto, ficamos frente a frente, nossa respiração se misturava, meu coração começou a bater mais forte e minha vontade de que ele fosse igual ao outros garotos estava cada vez maior.
- Seja igual aos outros, só agora.. - eu disse.
Ele não esperou eu pedir de novo, sua mão aproximou nossos corpos, ele me segurava como se eu fosse o mundo dele e ele não quisesse perde-lo nunca. Sua mão passou sobre meu rosto contornando os meus lábios, seu rosto foi se aproximando do meu e então ele se afastou.
- Não posso. Você diz isso agora pelo que o Gabriel acabou de fazer não porque você quer isso.- ele terminou de falar e já saiu do quarto.
Não fui atrás dele, fechei a porta, troquei de roupa, liguei o som, me deitei e pela primeira vez depois de muito tempo Gabriel não foi o meu último pensamento antes de pegar no sono.

(continua)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desejos de Menina: Broken (Capitulo V) © 2009 - 2015 - Todos os Direitos reservados
Volte sempre!