Mais uma de amor

13 agosto 2011

6b07bfb20002abd64e04ae06_large
 
Por muito tempo, imaginei que eu estaria predestinada a não só ficar sozinha, mas principalmente, a ser sozinha.

Meu dedo podre para o amor, minha hesitação em acreditar que alguém poderia me aceitar, ou mesmo me amar desse jeito tempestuoso que sou, com essas tamanhas variações de humor, com minha constante teimosia, com minha intolerância e meus ciúmes de quem amo, sempre me fizeram acreditar que eu jamais seria capaz de encontrar alguém pra chamar de meu.

Quando alguém se sente magoado, ferido por ter se apaixonado perdidamente e jamais ter sido correspondido, acaba acreditando que as coisas não são possíveis, que o amor não existe, mas que fica guardado para os filmes e seus eternos finais felizes.

As possibilidades ao seu redor tornam-se escassas porque já não consegue enxergá-las, já que a dor tira-lhe a visão, cegando pra tudo aquilo que é real, que é possível, fazendo com que a realidade seja algo gélido e cruel.
 
Mas por mais que eu relutasse em acreditar veemente nisso, que o amor estava reservado apenas para alguns sortudos, você apareceu para me provar o contrário.

Tão inesperadamente, de uma forma um tanto quanto improvável e até meio que absurda, você surgiu na minha vida e me fez repensar sobre tudo aquilo que eu sentia, vivia e esperava das pessoas.

Agora eu realmente sei o que é ter o  coração preenchido, como é não se sentir sozinha na noite escura e fria, como é enxergar luz aonde só existem trevas, como é se sentir perto de alguém que está a milhares de quilometros de distância.

Porque é assim que eu me sinto quando você está comigo.

Eu consigo ver de novo a beleza nas pequenas coisas, posso acreditar novamente nas pessoas e principalmente, me sinto pronta.

Pra poder ser feliz, como nunca fui antes.

Postado por: Isabela Santiago
Isabela Santiago 16 anos, vários desejos e sonhos e muito pra dizer pra caber nesse pequeno espaço. Aqui no blog faço contos e textos. Prazer, Isabela. :)

2 comentários:

Desejos de Menina: Mais uma de amor © 2009 - 2015 - Todos os Direitos reservados
Volte sempre!