Um capitulo sobre ela

08 setembro 2011

Por Deus! Ela conseguira de novo ser o tema de mais uma de minhas invenções literárias, conseguira que sua vida se descrevesse ou limitasse em algumas linhas, mais uma vez. Como se não bastasse ser destaque, ser destaque não é ser o bastante, o que mais ela quer? Quer entrar na cabeça e assume respondona, acha que pode. E o pior desse achismo todo é que ela esta certa. Fala tudo o que vem na mente mesmo quando não tem certeza. Mulher sabichona não solta a trança, só solta o verbo. Neste exato momento, a bonita me olha com uma cara de quem não gosta das afirmações que faço sobre a tal, quando por dentro sorri por vaidade apenas por eu estar aqui, perdendo meu tempo com ela, a cada verso... como fiz e refaço por anos, de novo e mais uma vez. Cara, eu juro que não sou de me perder nas idéias assim, nunca desviei do foco. 

Mas ao vê-la chegar aquilo que eu chamo de atenção se desvia. E lá vou eu prestar atenção no que ela se mostra afobada para contar. Seja sobre seu fim de semana ou sobre qualquer filme que ela tenha visto na ultima sessão da emissora de tv. Ou que ela tenha saído para alugar lá pelas 2 da manhã pelo simples fato de não ter medo de andar apenas com seus botões no meio da avenida tardia. Além de falar alto, ela se gesticula tão rapidamente que as vezes eu não sei se acompanharia suas mais diversas loucuras entre quatro paredes como sonhei acordado por suas milhares de noites. Evito olhar por muito tempo, ela me encara sem medo como se enxergasse os meus mais escondidos desejos que a envolvem. Sempre rodiada de gente em sua volta, agrada homens, mulheres e crianças. 

Deu pra aprender a tocar violão, mas não é serena o bastante para isso. Talvez ela faça o perfil daquelas backing vocals de bandas de rock antigas, puxando a luz do palco inteiramente para ela. Deu para querer fazer ballet, eu assisto e sei o fim: vai acabar desistindo de ter os pés machucados pelo próprio chão, lugar onde é ela quem pisa. É ela quem o machuca e não o contrário. Vai cansar, movimentos repetitivos e lentos demais para o seu gosto. 

Sei dos dias em que ela lava os cabelos. Um dia sim, um dia não. Para não enfraquecer o couro cabeludo junto com as idéias que sempre mudam enquanto ela esta no banho. É como uma crise de transformação! Não mostro para não ser classificado entre mais um dos bobões que a cercam mas cá estou eu. Aqui, fazendo de seu gingado e maneira de andar uma poesia. Das paixões que presenciei me apaixonei junto com o tal, cada dia mais. Desacreditou do amor, embora fosse movida por ele mas sorria de novo ao receber qualquer rosa, qualquer mimo de qualquer admirador que conquistou por aí.

Na vida, ousou se maquiar de vários jeitos diferentes, mas reconheço. Seus olhos são os mesmos e os únicos que sorriem a cada passada de vento, a cada pingo de chuva e a cada fervor do sol. Tem nome composto e faz aniversário em dia par. Um perfume inconfundível, embora troque conforme os lançamentos. Me pergunto, será que sua pele já passou por todos os perfumes ou é o fato de qualquer aroma me fazer lembrar dela que faça eu andar assim, sentindo cheiros que a lembrem ao passar sempre de uma calçada para outra? Os usava para dormir, e aí eu me pergunto: Quem é que usa perfume para dormir? Não teria lógica se a atitude não viesse dela, então não julgo. Me nego a julga-la, vai entender. 

Se é tão protegida, sei lá pelo o que. Mas é! Eu e o universo desconfiamos que Deus ao criá-la assinou em baixo como uma de suas obras preferidas. Interessante demais, como? Se nunca havia feiro curso para isso.  Não aprendeu com mãe, tia, irmã ou algo assim. Sabe, todos sorriem para ela. Eu não entendo. Só sei que ela sorri de volta.

Enfim, ela é tão isso aí. Ela é tão mais do que isso aí. Estou falando dela, de novo. Que acredita em energias positivas, em santo, em Deus, menos em mim. Menos nela mesma. E antes que eu crie um conflito com ela ao começar a falar de suas fraquezas, termino por aqui. Agora você que leu, também conhece um pouco dela. Mas não tanto quanto eu. 

Ou então ainda esta se perguntando: Quem é ela? Sabe... eu sei, você talvez depois dessa minha complexa descrição, também saiba. Mas ela.. ela é a unica que não sabe.

Postado por: Bárbara Clara
Bárbara Clara Membra do twitter @desejosdemenina, dona do blog Clara Mente e colaboradora aqui no blog fala sobre signos e cria textos de amor, ou não, depende de como e quando você vai ler.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desejos de Menina: Um capitulo sobre ela © 2009 - 2015 - Todos os Direitos reservados
Volte sempre!