Como cão e gato (6º capítulo)

17 março 2012

Ao descer da moto, Luciana se deparou com o inusitado: todo aquele tempo, quem estava ali ao seu lado era Léo.
- Vem cá. - ele a pegou pelo braço ferido com delicadeza e a levou até o hospital. - Olá, queria uma ajudinha aqui com essa moça. - ele disse se dirigindo a uma enfermeira, que ao ver o ferimento no braço de Luciana, logo disse com aquele ar de mãe cuidadosa:
- Ó querida, venha aqui. Vamos cuidar disso. Está doendo?
- Pra ser sincera, está sim. Tinha como a gente limpar logo isso?
- Claro.
- Sangue me dá um certo pânico.
Léo tentou abafar o riso.
- Que foi?
- É estranho uma mulher dizer que tem pânico de sangue, porque... né... enfim
Os três riram.
Depois de ter o braço devidamente enfaixado e cuidado, Léo se dirigiu a enfermeira e pediu que ela conversasse com o pai.
- Seu pai é médico?
- É.
Pouco depois, estavam em frente à casa de Luciana.
- Queria te agradecer por hoje. Nem sei o que teria acontecido comigo se você não tivesse aparecido.
- Nada de mais. Qualquer um faria alguma coisa no meu lugar, e eu só amedrontei o cara pela minha altura mesmo haha
- Mas mesmo assim. Obrigada.
- Mereço um beijo de recompensa?
- Não me faça lembrar disso, porque aí eu volto atrás no que eu disse e quem vai ficar machucado é você.
- Calminha, você perdeu um bocadinho de sangue, nada de altas emoções por hoje. Se cuida. - disse ele subindo em sua moto e partindo.

- Quem era aquele de moto? - Victor estava esperando por ela, sentado nos degraus da porta.
- Oi amor...
- Não respondeu minha pergunta, mas... o que é isso no teu braço?
E lá foi Luciana explicar o que tinha ocorrido.
- Nada disso teria acontecido se você tivesse me esperado no colégio. E outra coisa, quem é esse aí?
- Um colega meu, só isso.
- Sei...
- Não começa, vai. Já sofri um bocadinho por hoje, não acha?
- Tudo bem, amor. Agora que vai cuidar de você sou eu. - ele puxou-a para si, tomando seu braço ferido e beijando a parte que estava descoberta, até chegar no ombro. - Tá melhor agora? haha
- Hum... acho que sim...

Dias se passaram desde então. Luciana começou a mudar o comportamento com Léo, esquecendo as raivas passadas e fazendo dele mais um amigo. Só que isso começou a incomodar Victor, que morria de ciúmes de sua Luciana.
- Vou fazer um trabalho na casa da Lô.
- Você e mais quem?
- O Rick e o Léo.
- Eu não posso ir mesmo?
- Fala sério, Victor!
- Tá, tá. Lu. É que assim, tudo bem que ele tenha "salvado a tua vida", mas não sei porque, não vou com a cara desse garoto.
- O Léo?
- É né.
- Isso é marra sua.
- Você também não gostava dele, pelo que a Lorena me falou. Tudo mudou somente porque ele te salvou?
- Acho que sim, ué. O conceito dele acabou subindo e percebi que ele não era tão idiota quanto eu imaginei. Só isso.
- Espero que sim.

Luciana e Vistor namoravam há mais de três anos, então ela já sabia ele era. Ciumento. Mas dessa vez parecia que ele sentia algo além do ciúmes, algo parecido com o medo de perdê-la para outro. Outro que, por sinal, estava cada vez mais próximo de Luciana.

Continua....

Por: Isabela Santiago

Um comentário:

  1. Estou te seguindo! Se gostar segue de volta ?
    Beijos
    http://coolstuffporgiovana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Desejos de Menina: Como cão e gato (6º capítulo) © 2009 - 2015 - Todos os Direitos reservados
Volte sempre!