Como cão e gato (7º capítulo)

25 março 2012

- E então, vocês finalmente estão namorando?
- Sim. Ele foi lá em casa ontem pedir permissão pra minha mãe, acredita?
Os olhos de Lorena brilhavam, porque depois da timidez, o que mais atrapalhava o namoro seria a permissão de sua mãe, rígida e extremamente carola.
- Nem eu tô acreditando nisso.
- Você merece, Lô. – e se abraçaram por um bom tempo.
- Hey, não tem espaço pra mim nesse abraço, não? – era Léo.
- Para de ser intrometido, garoto. Não vê que esse é um momento entre amigas?
- Haha tudo bem então. Vou esperar a minha vez...
- Sua vez de...? – Luciana perguntou sem entender, mas ele já tinha dado as costas e saído.
- Mas e entre você e o Victor? Tudo certo?
- Mais ou menos, amiga. Você conhece a peça, né?!
- Ciúmes, de novo?
Luciana respondeu acenando afirmativamente com a cabeça.
- Mas passa, é só mais uma fase...
- É. Talvez.

Lu,
Queria te encontrar hoje a noite, no lugar de sempre. Tem como?
Te espero, às oito.
Beijos,
Seu Victor

Foi o bilhete que ele tinha deixado na porta de sua casa assim que chegou. O lugar de sempre... Isto é, o banco mais afastado da praça, que ficava de frente a árvore onde assinaram seus nomes dentro de um coração, ainda no início do namoro, há tempos atrás. Algo especial, seria?
Luciana decidiu que sim, e abriu o guarda-roupa para escolher o que vestiria. Sim, um vestido seria perfeito. Mas qual? O pretinho básico? Não, muito tradicional. O longo estampado? Também não, muito chamativo. Foi olhando até encontrar um vestido floral, de tom róseo. Aquele com o qual ele a pedira em namoro. Perfeito. Colocou-o sobre a cama e foi tomar um banho.
- Lu, seu celular tá tocando, filha!
- Obrigada, mãe.
Era uma mensagem de texto, na verdade. Que ótimo ouvido sua mãe tinha, pensou.

Luciana, deu um problema aqui com o trabalho. Tem como você vir aqui em casa? O endereço é esse...
Desculpa mesmo, mas dessa vez eu é que preciso de sua ajuda.
Léo

O que ele poderia ter feito de errado, dessa vez? Só faltava terminar os slides e conseguir arrumar um arranjo musical para a paródia que apresentariam na segunda-feira. Era isso. Ele não tinha senso musical algum, pensou Luciana. Como poderia deixar isso nas mãos de um garoto?
Bem, faltava quase uma hora. Mas o endereço nem era tão distante da praça, então... Preferiu se arrumar, indo resolver logo o problema com o trabalho e depois encontraria com Victor. Daria tempo.
- Aqui é a casa do Leonardo? – perguntou Luciana ao deparar-se com uma mulher de doces feições no endereço que Léo havia lhe ensinado.
- É sim, você é a Luciana, creio eu.
- Sim, sou eu. E a senhora?
- Ana, mãe do Léo.
- Prazer, Dona Ana. Ele está?
- Está sim, te esperando, por sinal. Venha que eu te levo.
Ela levou Luciana até a varanda onde Léo estava. Sentado na grama verde, ele segurava o violão, olhando para as muitas cifras que estavam ao seu redor.
- Léo, a Luciana está aqui. – disse sua mãe, saindo.
- Err, oi.
- Oi, recebi sua mensagem. – respondeu Luciana segurando o celular.
- Bem, é que eu não tava alcançando o tom pra música. E fiquei sabendo que você canta, então, pensei que...
- Você o que?
- Que você poderia cantar, ué.
- Você só pode estar brincando comigo.
- Uai, porque? Eu não to mentindo. E por sinal, vi os vídeos que você canta.
- Ah, você está me investigando agora, é isso mesmo?!
- Deixa de ser chata, Luciana. Eu sei que você canta.
- Mas faz muito tempo que eu não tenho aula...
- Cantar não depende tanto de técnica, você canta e ponto. Senta aí no balanço que eu vou tocar. E qualquer coisa, eu acompanho, fico como segunda voz. Tu conhece essa aqui? – ele disse, se levantando para mostrar uma das cifras.
- Conheço.
- Tá, então vamos tentar.
Ela se sentou num balanço de cor branca que mais parecia parte de um cenário de filme de romance, e começou a ouvir as primeiras notas... e cantou.
- Para de me olhar assim, eu me sinto mais constrangida ainda.
- Tá, é que... Deixa pra lá.
- O que é? – ele se sentou ao lado dela, segurando a cifra.
- Vamos tentar mais uma vez. Você fica com essa parte, eu continuo com essa. Só na voz.
Deu tudo certo. A voz de Léo conseguia se transformar de tal forma quando ele cantava, tornando-o ainda mais encantador. As duas vozes se encaixam perfeitamente. O dueto perfeito.
- Ficou lindo. Sua voz é linda! – disse Luciana, ainda surpresa.
- A sua que é... você toda é linda...
E puxou-a para si, num beijo longo e apaixonado.

Continua...

2 comentários:

  1. Que casal mais fofo!!*-*
    CONCURSO LÁ NO BLOG VALENDO DIVULGAÇÃO:http://themudancas.tk/

    ResponderExcluir
  2. meu deus ta mto boa essa historia, descobri hj e ja li todos!!! ansiosa pelos prox capitulos ja hahaha

    ResponderExcluir

Desejos de Menina: Como cão e gato (7º capítulo) © 2009 - 2015 - Todos os Direitos reservados
Volte sempre!