Inseparáveis - capítulo XXIV

30 março 2012

Gelei. Sempre que algum médico pedia para falar com os responsáveis era porque a coisa tava feia. Sempre foi assim. Em todos os livros, séries, seriados, filmes… Tudo. Sempre era ‘preciso falar com os responsáveis’ e você já sabia que a pessoa ia morrer no final. 
- Eu vou morrer, Dan - falei.
- Não vai, para com isso - ele disse secando as minhas lágrimas.
Enquanto isso meus pais levantaram e saíram do quarto junto com o médico.
- Eu vou, Dan.
- Melissa, cala a boca - ele estava irritado.
- Desculpa - falei.
- Não precisa pedir desculpa, só para de falar besteira.
- Mas… - ele não deixou eu terminar, apenas me beijou.
‘Dan, eu te amo’ pensei enquanto ele me fazia a menina mais feliz do mundo.
- Filha… - era minha mãe.
- Oi - já estava esperando a pior notícia do mundo.
- Amanhã você já pode sair - ela disse com um sorriso aliviado no rosto.
- Sério? Sério mesmo? - sorri também.
- Sim, meu anjo - meu pai retribuiu meu sorriso.
- Mas agora descansar, filha - minha mãe disse, me deu um beijo e saiu. Meu pai fez o mesmo, Dan também.
- Dan… - chamei-o quando ele parou na porta e me olhou.
- Oi - ele se virou e disse.
- Você pode ficar aqui comigo? - perguntei.
- Claro - ele sorriu, pegou na minha mão e ficou esperando eu adormecer.
”- Vem cá, Melissa - Felipe me chamou.
Eu fui.
- Posso te beijar? - ele perguntou.
- Claro que pode - falei sorrindo.
Nós nos beijamos. 
- Me beija com vontade, Melissa - ele disse.
Beijei. Enquanto isso ele ia tirando minha roupa.
- Vem, quero te mostrar um lugar - ele dizia e me puxava.
Era a quadra que nós jogávamos futebol. Estava escuro e nós, nos beijando. Até que as luzes acendem todas juntas e a arquibancada está lotada. E eu, nua. Todos começam a rir e assistir, enquanto Daniel filma o Felipe tentando tudo comigo.”
- PARA DE ME FILMAR, DANIEL, PARA. POR QUE TU TÁ FAZENDO ISSO? VOCÊS NEM SE GOSTAM.
- Melissa, calma, tá tudo bem, foi só um pesadelo, calma, calma - Dan me abraçou.
Pesadelo. Pesadelo. Pesadelo. Eu odiava pesadelos.
- Felipe, filme… - as palavras saíam aleatoriamente da minha boca.
- Tô aqui, tá tudo bem, Mel - Dan me beijou.
Fechei os olhos e adormeci novamente e, dessa vez, não tive pesadelo nem sonho, ficou apenas tudo branco.
Depois de sair do hospital, fiquei uma semana em casa com os meus pais, foi tão bom, deu tempo de matar a saudade. Dan voltou para a escola mas me ligava todos os dias.
- Ainda bem que amanhã você volta, não aguento mais de saudade - Dan disse ao telefone.
- Eu também, Dan. Falando nisso, deixa eu desligar, tenho que arrumar as coisas, te amo!
Terminei a mala e deitei para descansar, ainda estava meio assim de ter que entrar em um ônibus mesmo depois de tudo o que aconteceu. Tive muita sorte de nada grave ter ocorrido, mas mesmo assim, ainda tinha medo.
Logo de manhã meus pais me deixaram na rodoviária, nos despedimos e fui. Coloquei uma música, fechei os olhos e desejei acordar só na outra rodoviária. E foi exatamente o que aconteceu.
- Querida, chegou - o motorista me avisou.
- Ah, me desculpa - falei meio assustada e saí do ônibus.
Dan estava lá me esperando. Corri para abraçá-lo.
- Que saudade - disse e o beijei.
- Vem comigo que eu tenho uma surpresa - ele pegou na minha mão e me mandou fechar os olhos.

3 comentários:

  1. Que bom que a Mel ficou bem, que surpresa?! *-*
    http://themudancas.tk/

    ResponderExcluir
  2. ain muito legal a sua história
    http://sonhosdeegelo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Desejos de Menina: Inseparáveis - capítulo XXIV © 2009 - 2015 - Todos os Direitos reservados
Volte sempre!