Meu Príncipe (Des)Encantado

25 setembro 2012

Você não é o homem perfeito, nunca foi. Você não está nem perto de ser o homem que eu idealizei toda minha vida e eu deveria ficar feliz por isso? Me livrei de jantares românticos e cheios de papinhos clichês, me livrei da carruagem e do castelo e de todo o cenário que poderia te transformar em um príncipe ou em qualquer homem-perfeitíssimo-pra-mim, esse mesmo, esse que você não é. Ainda bem! Não quero guardar nada comigo para sempre. Viver em um mundinho idealizado de princesinha cabia em mim quando eu tinha 10 anos, talvez. Com você não dá. Porque o homem perfeito talvez me levasse para jantar e teria comigo todas aquelas longas conversas chatas em que eu não entenderia nada ou pelo menos queria não entender grande parte dela, por simplesmente me lembrar do tédio que as pessoas me trazem.


Você me faz rir das coisas mais idiotas e ver o que ninguém percebe. Eu me fecho para o mundo e abro meu coração simplesmente por amar a bagunça que você faz a cada chegada. Eu sou eu. Desisto da máscara que o mundo nos faz usar para nos tornar mais "aceitáveis". E eu desisto da minha mania de solidão pra encontrar companhia no seu abraço. Me pego dançando sozinha e discutindo sobre a intensidade com que as coisas acontecem. E descubro que a minha neurose, meus medos, cicatrizes e frieza somem no calor dos nossos encontros. É o seu calor. É a minha imensurável loucura misturada a tudo que completa você. E eu sei que nenhum homem que carrega consigo a droga da lista de coisas que eu não gosto poderia me fazer feliz. Porque é na falta de equilíbrio que eu encontro minha felicidade. É nas noites sem sono, de ciúmes, no modo como a gente faz as pazes e na maneira como a gente canta nossa música preferida, entende? É o errado que me atrai.

Tenho absoluta certeza de que o homem perfeito é um cara ótimo, mesmo com todas as suas frases óbvias, equilíbrio e sensatez. Tenho tanta certeza que desejo que ele encontre uma mulher perfeita que sorria amarelo, diga coisas fofas e seja completamente um espelho do que ele é ou espera encontrar. E quanto a mim, espero que eu me afunde cada vez mais na minha loucura e em meu desequilíbrio porque são deles que saem os meus melhores momentos. Nossos momentos. E quanto a você? Espero que fique aqui, que aguente firme. O nosso desequilíbrio é o que faz com que as coisas funcionem e isso, meu bem, só é divertido quando se tem o errado que deu, ou melhor, que dá certo. Então esqueça o homem-perfeitamente-ideal-e-entediante e continue sendo o meu erro, por favor.

.........................................................................................................................................................
                                  
Minha fotoBom, meu nome é Raiane, tenho 19 anos (muito bem vividos) e curso Publicidade. Comecei a escrever depois de sofrer uma decepção amorosa (clichê, não?), descobri que alivia bastante e nunca mais parei. Escrevo sobre coisas pelas quais eu passei e inacreditavelmente muita gente se identifica. Falar sobre ex namorados no twitter é uma coisa engraçada, porém nos textos, quando eu escrevo sobre alguém específico, significa que eu encerrei um ciclo. Claro que nem tudo é realidade, mas quase nada é ficção. Então se liga que aqui vai uma bomba: Se você aí reconheceu algum cenário descrito em um dos textos aqui ou se identificou com algum personagem, sinto dizer, baby... Mas por favor, chora e não me liga!

.........................................................................................................................................................


 

4 comentários:

  1. Adorei o texto, muito legal >.<

    http://sonhosdegarota.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. os dois blogs que eu mais amo juntos!!!!!!!!!!!!!!!! ameiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

    ResponderExcluir
  3. adoro os textos da raiane!!!!

    ResponderExcluir
  4. Pamella eu também escrevo. Como faço para mandar um texto para analise? Beijos!

    ResponderExcluir

Desejos de Menina: Meu Príncipe (Des)Encantado © 2009 - 2015 - Todos os Direitos reservados
Volte sempre!