Amor em preto e branco

03 novembro 2012


Decidi escrever pra você não dizer que eu não falei do amor. Eu falei, tantas vezes que até perdi as contas. Na verdade, falei e senti. Agora, escrevendo tenho certeza do quanto gostei de ter você por perto, mas assim como as coisas ruins, as coisas boas também passam.

De uma amizade colorida entramos em um ponto critico onde um se apaixona e o outro começa a ver tudo sem cor. Por mais que isso seja difícil de dizer, assumir, acreditar, eu estou completamente apaixonada, mas vou te deixar. Te deixarei pelo simples fato de estar decidida a te ver feliz.
Pra não dizer que eu não avisei, eu deixei claro: quando alguém se apaixonar, paramos. E estou parando, deixando aqui registrado. Eu parei! Parei exatamente por começar. Começar a gostar, a sentir, a sofrer. Pois é, ando sofrendo. Amor é uma coisa estranha. Te deixa bem e no mesmo segundo, te destrói. 

Uma pena que tenha sido assim, tínhamos tudo para ser perfeitos um para o outro. Talvez até fomos. Ficamos felizes, aproveitamos a felicidade e pronto. É o tal do “eterno enquanto dure”.  E durou. Um dia, uma semana, um mês. Foi um tempo meio complicado de ser definido. Começou e terminou meio que “do nada”. Ninguém esperava e aconteceu. Ninguém esperava e então, parou de acontecer.
Melhor assim, quanto menos chances de sofrimento antecipado, melhor. Por mais que eu seja uma masoquista sentimental, o amor machuca demais. Na verdade, te deixar ir tem me machucado demais. Porque a cada tchau, uma parte de mim vai junto, um sorriso se perde.

Mas a gente sabe que não vai acabar assim. Um dia a gente se encontra por aí. Numa rua qualquer, num dia qualquer e talvez até seja o tal do momento certo. Afinal, pessoas certas sempre aparecem em momentos errados. Acho que esse foi nosso grande problema. Nós somos errados demais para fazer o momento ser o certo. Nós temos mais medo do que vontade e isso atrapalha. Mas fica aqui o recado, eu te espero por aí. Te espero pelo mundo, pela vida. Te espero nas quartas, nas sextas, nos finais de semana. Te espero mesmo sendo a pessoa errada, mas só te peço uma coisa, quando aparecer, que seja do nosso jeito, do jeito certo. Sem relacionamentos, sem emoções, apenas amigos. Amigos com benefícios.

13 comentários:

  1. Texto lindoooooooooooo! Amei, Pam!! :)

    ResponderExcluir
  2. ai, não gosto de textos que me fazem chorar ):
    ainda bem que ele é o contrário do que eu to vivendo, mas é lindo, super emocionante e bem escrito.

    www.bygarotas.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Te fez chorar pelo simples fato de eu ter escrito ele com o coração na mão! haha..

      Que bom que gostou, fico feliz <3

      Excluir
  3. puutz pam ,que lindo ): me emocionou .awn ><><
    ilovestarandbooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awwwwwn *-* que fofuuuura! Que bom que gostou love..

      Excluir
  4. Demais seu texto!
    http://detudoumpouco-cah.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Esse texto me fez lembrar de mim no passado. Na verdade, há algumas semanas ou meses. É um texto muito bonito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que esse é um dos meus textos favoritos, se não o favorito. Fala de uma parte boa da minha vida.. Espero que tenha sido uma parte boa da sua também, independente de como tenha terminado..

      Beijos

      Excluir
  6. Parabéns pelo texto Pamella simplesmente lindo, senti como se você tivesse contado minha vida nessa história rsrsrsrs Parabéns e sucesso :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse texto fez muita gente se identificar.. haha.. Sua vida tem sido complicada né? haha mas divertida, é o que vale..

      Beijos

      Excluir
  7. O que passei foi quase isso,sou apaixonada por um amigo...ficamos uma vez só,depois não dizemos nada sobre o que havia acontecido,já faz um tempo e ainda não o esqueci,penso que ele ainda não,mais agora está namorando uma garota,digo a ele ou devo esquecê-lo? Me ajude por favor,beijos!

    ResponderExcluir

Desejos de Menina: Amor em preto e branco © 2009 - 2015 - Todos os Direitos reservados
Volte sempre!