Nunca fui beijada - 10º capítulo

19 julho 2013


Enfim tinha chegado o dia da festa. Eu consegui arrumar um vestido caipira azul turquesa, fiz duas tranças laterais nos cabelos e passei blush nas bochechas, deixando-as bem coradinhas. 
Logo quando cheguei na escola pouquíssimas pessoas estavam lá, apenas arrumando e participando da organização do evento. O pessoal já tinha vindo mais cedo e organizado tudo de acordo com o que cada um estaria fazendo: alguns venderiam caldo, outros os doces, os meninos estariam encarregados das bebidas e dos espetinhos, e teria um grupo que estaria passando com bilhetinhos com o chamado "Correio Elegante" para as moças e os moços apaixonados.
Com pouco tempo todo o espaço, que já estava preenchido por mesas e cadeiras muito bem decoradas, estava cheio de som e pessoas rindo e se divertindo. A turma estava quase toda pronta, cada um servindo de alguma forma, procurando fazer tudo da melhor forma possível para que a festa fosse de fato maravilhosa.
- Oi, moça bonita.
Tomei um susto ao ver o Ricardo na porta da sala onde eu estava servindo os caldos. Ele usava uma camisa xadrez azul claro com um girassol no bolso, segurando um quentão.
- Oi, meu par. - sorri, ainda meio sem graça, desviando o olhar ao sentir que minhas bochechas começavam a ficar mais coradas que ja estavam.
- Então nós estamos combinantes?
- Pelo que eu tô vendo, sim.
- hahaha Até nisso
- Oi???
- Nada. 
Fiquei meio desconfiada e lembrei daquilo que os meninos tinham me dito. Mas relevei, talvez fosse apenas exagero.
- Quer um pouco de quentão?
- Eu não bebo.
- Mas é bom. Experimenta, só um pouquinho.
- Tá. - tomei um gole e nada mais, fingi um sorrisinho fraco, e agradeci.
- Se quiser experimentar mais alguma coisa me avise haha
- Certo. Desculpa mas agora eu tenho que terminar isso aqui. Te vejo na hora da quadrilha, okay?
- Ta bom.
Fiquei pasma com aquela cena. Eu tava doida ou o professor Ricardo estava realmente dando em cima de mim? Gente, que absurdo, já diria o Alyson, mas essa parecia ser a coisa mais óbvia.
Procurei alguém pra falar o que tinha acontecido mas todo mundo estava ocupado com alguma coisa.
Às nove e meia todo mundo estava enfileirado, pronto pra quadrilha. No meio dos pares de mãos dadas, lá estava eu, soando frio, com a mão gelada dada ao meu professor.
- Dani, ce tá bem?
- Tô sim, professor. Só nervosa.
- Fica tranquila, eu tô aqui.
- haha Ta
- É sério, olha...
Antes que ele pudesse continuar a musica tocou e fomos puxados para o meio da quadra.
Tudo deu certo.
Minhas pernas seguiram para o lado certo na hora certa, e não desmaiei.
Saímos com um sorriso no rosto, felizes por termos feito um belíssimo trabalho.
A professora que nos coordenou na dança veio nos parabenizar também.
Depois que todo mundo já tinha ido embora, eu fiquei com a Bárbara recolhendo as coisas que faltavam, e depois que ela foi embora, eu fui pra porta da sala, sentar um pouquinho antes de ir pra casa.
- Da-ni-e-la...
Olhei pra cima e vi o Ricardo escorado na porta, olhando para mim.
- Errr... Oi Ricardo.
Ele me puxou pra cima, me fazendo ficar em pé de uma vez.
- Já te disseram que você é linda?
Ele tava com a voz embargada, não parecia estar no seu estado normal.
- Não...
- Aaaahhh! Mas você é L-I-N-D-A P-O-R D-E-M-A-I-S!
- haha Obrigada
- Mas sabe o que seria ainda mais bonito?
- O que?
- Isso.
Ele puxou meu corpo junto ao dele, segurou minha nuca com força e se aproximou do meu rosto. Consegui sentir o bafo do álcool e o calor subindo nas minhas costas.
- Não, Ricardo, você é meu professor, eu não acho isso legal e...
- Mas eu sei que você também quer, gatinha. Você é bonita e inteligente, eu também... E esse seu jeitinho de santinha tímida só aumenta a minha vontade...
Ele começou a passar a outra mão nas minhas costas, descendo até a cintura.
- Não, professor, por favor...
Ele começou a me beijar no pescoço, apertando meus braços para que eu ficasse imobilizada.
Eu poderia até sentir uma certa atração por ele, mas não conseguia sentir nada naquele momento, sendo forçada a algo que eu sempre quis saber como era.
- Socorro!
- É melhor você ficar caladinha, gatinha. Não quero fazer nada de mal, pra você, pelo contrário... Só quero o seu bem.
- Mas eu não quero! NÃO QUERO!
- Se você não quer por bem, vai querer por mal!
Meu coração quase saiu à boca, quando ele me olhou pela ultima vez.


Continua...


2 comentários:

  1. Ahhh não acredito! Quero saber o resto kkkkkk
    Esse Ricardo é um grosso hein.
    Posta logo a continuação :D hehehe. Fiquei curiosa.

    http://inspiracaoentrelinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oieee!! Boa noite, eu tenho um blog e gostaria mto que vc me seguisse.Estou seguindo o seu!!!AMEI SEU BLOG e a postagem,parabéns!!
    meu blog é http://hopefullyy.blogspot.com.br/
    Aaaa e aproveito para comunicar que o livro ELAS SÃO GÊMEAS já está a venda na editora Baraúna,na Saraiva ,LIVRARIA DA TRAVESSA ,com uma promoção especial no site da editora.Aproveite!!!
    O link do livro no skoob tb caso tenha :
    http://www.skoob.com.br/livro/312875

    Obrigada pela atenção .bjs

    ResponderExcluir

Desejos de Menina: Nunca fui beijada - 10º capítulo © 2009 - 2015 - Todos os Direitos reservados
Volte sempre!