Nunca fui beijada - Capítulos Finais

01 dezembro 2014


- Olha quem veio nos visitar...
- Calma, Ricardo, por favor.
- Eu estou calmo, meu bem. Só não estou entendendo o que esse moleque está fazendo aqui.
- Ele ficou preocupado comigo, só isso...
- Preocupado?! Tô vendo bem... - ele lançou um olhar cortante para as mãos do Renato, que seguravam nas minhas já desamarradas.
- Olha aqui, é o seguinte: Você vai ficar de boa aí e eu e a Daniela vamos embora. Fácil, simples e sem danos maiores. Inclusive a gente não vai te denunciar.
- Me denunciar? - um riso histérico explodiu no quarto. Naquele momento eu não sabia distinguir o que tinha de efeito das drogas e de insanidade nele - Vamos, me denuncie por amar demais! Seu bostinha metido à merda! Olha aqui, você. - foi quando o Ricardo tirou do bolso da calça uma arma - Você acha mesmo que vai vir aqui na minha casa, roubar a minha garota e as coisas vão ficar por isso mesmo??? Fala sério, garoto! Eu conheço a tua raça!
- Por favor, fica calmo.
- Então, quer dizer que era você que estava se intrometendo no nosso caminho? - mais uma crise de riso histérica - Ai, ai... Você realmente não me conhece...
- Posso até não conhecer, mas lembro de tudo que você fez com a Milena. - ouvir isso fez com que o riso cínico no rosto de Ricardo desaparecesse - Ela era minha melhor amiga e você destruiu a vida dela!
- Quem é Milena? - perguntei
- Fala pra ela! Explica como você acabou com a vida de uma jovem de 19 anos com esse amor que você diz sentir. - ele continuava parado, os olhos baixos fixos no nada - Você não vai falar nada? Então eu falo. A Milena estudou comigo durante o Ensino Médio. Ele era uma mulata de olhos verdes, que além de linda e simpática era muito inteligente. Sempre tive ela como uma irmã e isso era recíproco, nos conhecíamos desde que eu me conheço por gente. 
No primeiro ano, o Ricardo entrou na escola como professor substituto, mas logo tornou-se fixo. As meninas morriam de amores por ele e a Milena era a unica que não dava bola. Apesar disso, era uma das alunas mais participativas e inteligentes na matéria dele. A indiferença misturada com a inteligência dela devem ter despertado o interesse dele. Fora das aulas, ele sempre dava um jeito de estar onde ela estava. E aos poucos ela foi se entregando aos seus "encantos". 
No início do terceiro ano, já havia boatos de que os dois tinham um relacionamento fixo, mas foi em uma das festas pra arrecadação de fundos para nossa formatura que ele deixou isso bem claro: depois de beber todo o estoque de álcool, ele agarrou a Milena e beijou-a no meio da quadra. Foi embaraçoso. Todo mundo já sabia, mas ninguém esperava que ele desse um vexame daqueles. A Milena ficou furiosa e deixou ele sozinho que nem um idiota. Foi aí que as coisas começaram a sair do controle. 
Ela tinha um gênio forte, era dona do próprio nariz... Ela morava num apartamento sozinha, já que o pai morava no exterior e a mãe tinha falecido quando ela era muito nova. E era, acima de tudo, independente. Acontece que o Ricardo não aceitava isso. Ele ia atrás dela onde quer que ela fosse e muitas vezes fazia ela passar vergonha. Ele estava sempre bêbado, mas com o tempo, vimos que ele vinha usando coisas piores que o álcool. Ele chegou a machucar a Milena fisicamente.
- É mentira! - ele berrou aos prantos.
- Os hematomas que ela tinha mostravam o contrário. Foi quando ele perdeu o controle.
- Não! Não! Não! - ele parecia absorvido com lembranças que queria esquecer, chegando a tapar os ouvidos e se balançar como se fosse dissipar esse sentimento para longe.
- No ultimo ano de sua vida, a Milena me disse que estava planejando fugir dele. Segundo ela, era a unica forma de se livrar daquele relacionamento turbulento. Eu ajudei com a mudança, da forma mais discreta possível. Só que ele descobriu e ficou louco de ódio. 
A gente estava num carro alugado, levando o resto da mudança quando vimos o carro dele acelerando atrás. Ele berrava pela janela e ela tentava desviar o carro. No momento em que ele conseguiu parear o carro, a Milena olhou para ele e disse: "Eu não sou sua. Me deixe em paz!" 
Foi quando batemos de frente com um caminhão. O carro foi arremessado numa ribanceira. Não sei como, mas tive força pra sair do carro, que estava de cabeça para baixo. Encontrei a Milena desacordada com um corte profundo na testa. Eu já estava fora do carro, tentando puxá-la pela janela, quando o carro explodiu e me jogou longe. Até hoje não entendo como sobrevivi, mas perdi minha melhor amiga. Por SUA CULPA!
Ouvir aquilo foi tão forte para o Ricardo que ele se jogou no chão, chorando desesperadamente, se debatendo e puxando os cabelos.
Batidas fortes irromperam do nada, trazendo o Ricardo de volta ao mundo real.
- Abram a porta, é da polícia!
Eu já estava de pé, ao lado do Renato. 
O Ricardo se levantou e apontando a arma para nós dois parecia decidir sobre o que fazer a partir dali.


Continua ...
 

Um comentário:

Desejos de Menina: Nunca fui beijada - Capítulos Finais © 2009 - 2015 - Todos os Direitos reservados
Volte sempre!