Nunca fui beijada - Penúltimo Capítulo

27 janeiro 2015


- Polícia, abra a porta!
- Calma, policial. Estou no banheiro, só um minuto! - Ricardo gritou. - Vocês vão vir junto comigo, bem quietinhos - sussurrou para nós - Basta concordar com tudo o que eu disser e entrar na cena e tudo vai dar certo. Quem sabe eu até libero você. - disse, apontando para Renato e guardando a arma debaixo da camiseta.
Ele saiu caminhando na ponta dos pés ao mesmo tempo que a passos largos pela casa e deu uma passou rapidamente pelo lavabo, onde molhou as mãos para aparentar que estava mesmo no banheiro.
Íamos atrás dele, de mãos dadas.
Sentia uma tensão muito grande envolvendo todo o ambiente.
Renato andava de forma rígida e sua mão estava gelada. 
Meu coração estava subindo pela garganta e minhas mãos suavam frio.
- Tem coisa pior que alguém chegar logo quando estamos no banheiro?! Sinto muito em demorar tanto pra te responder, mas acho que você entende a situação. - o tom de voz ia parecendo cada vez mais natural, como se ele estivesse fazendo uma piada com tudo, ao se aproximar da porta. - Pois não?
- Boa noite, senhor. Seu nome é Ricardo Julius de Oliveira?
- Sim. Em que posso ajudá-lo?
- Temos uma denúncia de que o senhor sequestrou uma menina e que está mantendo-a em cativeiro aqui na sua residência. Você confirma essa informação?
- Uau! As crianças pegaram pesado dessa vez.
- Como disse?
- Meus alunos. Sou professor de história
- Podemos entrar?
- Claro. Inclusive esses dois aqui podem dar testemunho do que eu tô fazendo nesse momento. É um ex-aluno e uma aluna minha do ultimo ano do ensino médio. Estamos conversando sobre todo tipo de assunto. Religião, política, sexualidade e todo tipo de coisa. Que mal pode haver nisso? - ele se virou para nós, com um sorriso cínico, exigindo com os olhos que confirmássemos aquilo que ele estava dizendo - Não é, meninos?
- É mentira! - Renato berrou.
- Como assim, garoto? - indagou o policial.
- Ele está mentindo! - gritou novamente
Vi os olhos do Ricardo se enchendo em brasa.
- Seu desgraçado! - ele empunhou a arma e disparou o gatilho na direção do Renato.
Por instinto ou loucura, me joguei na frente dele.
Senti o impacto da bala e o mundo girou ao meu redor.
Consegui ouvir berros de horror e vi, antes de cair no chão frio, muito sangue escorrendo e ensopando minha roupa.
Renato me abraçou deitada, tentando desesperadamente me manter acordada.
Mas eu não conseguia manter os olhos abertos.
- Eu te amo. - sussurrei tão baixo que nem sei se ele conseguiu ouvir.
Então, fui tomada pela escuridão.

Continua ...

6 comentários:

  1. posta logo o ultiiiiiiiimo, pleeease.

    ResponderExcluir
  2. OMG! Quero logo a continuação dessa história!

    ResponderExcluir
  3. As histórias postadas aqui são tão instigantes. A gente se envolve. Isso é bom. O ruim é que a continuação vem quase parando. Isso é chato. Tem hora que dá até pra esquecer o que já se leu. Já acompanhei algumas histórias aqui, e infelizmente sempre é assim. Parece que vcs começa super animadas e vão desanimando aos poucos. Bom, espero pelo final, ok. E desculpa a critica, mas prefiro que usem ela pra evoluir

    ResponderExcluir
  4. Ah e pra completar, não sei se esses textos são seus ou se copia de outro lugar.. mas se forem seus, meus parabéns. São perfeitos.

    ResponderExcluir
  5. Cara(o) colega anônimo, prometo, como autora, que o capítulo final sai ainda nessa semana. E tenha na certeza que nenhum dos nossos textos são copiados a não ser de nossas próprias cabeças. Beijo

    ResponderExcluir
  6. Melhor história que acompanhei na internet!!! Já teve o capitulo final??

    ResponderExcluir

Desejos de Menina: Nunca fui beijada - Penúltimo Capítulo © 2009 - 2015 - Todos os Direitos reservados
Volte sempre!