Doce Veneno - capítulo 5


... Gosto de pensar que tínhamos tudo
Desenhamos um mapa de um lugar melhor
Mas na estrada eu caí
Oh querido, por que você fugiu?


Os dias que se seguiram após o término do namoro foram menos dolorosos do que Maysa imaginava. Enquanto a cabeça estava focada na faculdade tudo parecia bem. A não ser pela eterna rixa entre ela e Nathalie.

Era época de campanha para eleição do novo grêmio estudantil da faculdade. As três chapas tinham, cada uma, propostas para melhorar e atender às possíveis reivindicações estudantis.

Nathalie sempre participou da chapa considerada de direita, a "Hora da Mudança", e nesse semestre decidiu se candidatar a liderança.

A chapa da esquerda, chamada "Chapa da Virada" era mantida por uma galera que era super favorável a todo tipo de liberdade de expressão e sonhava com uma revolução no contexto estudantil.

Por fim, estava a chapa "Pés no Chão" que ficava no meio termo em relação às outras duas e, talvez por isso mesmo, tinha pouca visibilidade e poder de voto.

- Meninas, eu tava pensando aqui sobre as chapas e acho que não votaria em nenhuma, simplesmente porque nenhuma me representa. - disse Rebeca mordiscando uma barrinha de cereal.

- Assim, eu acho que a gente precisa de algumas mudanças sim, mas acho que nenhuma das três me dá motivos pra acreditar que isso vai, de fato, acontecer. - completou Fernanda, depois de um gole de café quente.

- Eu vejo que a que mais se aproxima do que eu acho bacana é a "Pés no Chão". Não sou a favor dos extremos, mas ela não tem ninguém a frente que mereça meu voto! - concluiu Juliana.

- Cês acreditam que eu sou "filiada" à "Pés no Chão?"? - falou Maysa com naturalidade - Logo que eu entrei no curso, naquela época de frisson total eu comecei a participar, mas depois perdeu a graça. O povo de lá é muito desanimado.

- Pera, se você é filiada, porque você não se candidata? - perguntou Rebeca com os olhos arregalados.

- Sei lá, apesar de ter esse espírito de liderança que vocês costumam dizer, nunca achei que fosse capaz de ganhar um cargo desses. E também, é muita responsabilidade! - respondeu Maysa.

- Por isso mesmo, Isa! Você é a pessoa ideal! Proponho agora a candidatura de Maysa Schmidt Martins para a presidência da chapa Pé no Chão! - falou Rebeca numa altura em que todas as pessoas ao redor pudessem ouvir.

O grupo de meninas acabou convencendo Maysa à candidatura e foram, animadamente, falar com o pessoal da chapa que aceitou a proposta com euforia.

- Maysa, você é a novidade que a gente tava precisando! Quem sabe a gente consegue se eleger esse ano?! - disse Luiz Guilherme, o representante mais antigo da chapa.

- Vou dar o meu melhor! - garantiu Maysa.

A partir daí, a rotina de Maysa ficou pautada na campanha eleitoral. A primeira coisa que fez foi mudar as cores e o tema do slogan. Em vez do símbolo da paz pintado de verde, pés pisando no chão de areia e grama com cores vibrantes e mais significativas.

Faltava mais de um mês para as eleições e as campanhas começaram a bombar não só nos cartazes e bandeiras pendurados nos muros da faculdade, mas nas redes sociais também.

- Quer dizer que esse ano você vai se candidatar, Maysinha? - perguntou Nathalie, ao se aproximar da rival - Fiquei surpresa com a sua decisão - disse a loira enquanto enrolava uma mecha de cabelo no dedo indicador.

- Pra falar a verdade, eu também, acredita?! - respondeu Maysa, com certo ar de desprezo por aquela presença incômoda. - Mas te desejo boa sorte, ok? Jogo limpo.

- Ah sim. Mas quem te deseja boa sorte sou eu. Você quem vai precisar, querida.

Maysa revirou os olhos e seguiu pro caminho oposto. "Garota insuportável!", pensou. "Mas agora eu tenho mais o que fazer.". E uma dessas coisas era arranjar um candidato para a vice-liderança.

- Gente, desculpa, mas não vai ficar legal colocar uma amiga minha como vice. Vai parecer nepotismo ou algo do tipo - disse Maysa, tentando convencer Rebeca disso.

- Está bem. Mas quem poderia ocupar esse cargo? - perguntou a amiga, já emburrada.

- Bem, eu pensei em colocar alguém do sexo oposto, sei lá.

- E você já tem alguém em mente? - perguntou Nanda.

- Na verdade, todas as minhas opções não são lá das melhores e a pessoa que era mais próxima seria o meu ex, com quem eu não pretendo dividir nem o oxigênio, que dirá a liderança.

- Bem, cê já pensou no Cadu? - perguntou Ju - além de gato, ele é caidinho por você!

- Ai, Ju. Ele não faz muito o tipo que se preocupa com as pessoas né, vamos cair na real - respondeu Maysa, com certo desespero.

- Mas você consegue disfarçar isso. E além do mais, ele pode estar te ajudando financeiramente com a campanha, e quem sabe ele não descobre um lado mais preocupado com os outros fazendo algo em prol do bem comum? - disse Rebeca, tendo mil e uma ideias enquanto tagarelava. - Vai ser ótimo porque além de tudo, ele é caidinho por você, migs! Se joga, vai!

Maysa tinha pouco tempo pra pensar no assunto porque, além das possibilidades de arranjar um vice bacana serem mínimas, o tempo para inscrição iria acabar daqui a dois dias. "Bem, vou fazer uma prévia com as possibilidades que eu tenho. Em ultimo caso, o Cadu.", pensava, enquanto consultava a agenda telefônica do celular.

Ligou pro Luiz Guilherme, que era o cara mais velho da chapa, mas ele não tava querendo assumir compromisso porque beirava a época de sua formatura e ele tinha que se focar no TCC. Essa resposta foi a mesma para, pelo menos, mais cinco contatos posteriores. César não tinha a menor vontade de mexer com questão política, Gustavo estava fazendo intercâmbio e só voltava daqui a seis meses, Henrique estava num projeto e não tinha tempo pra se comprometer com nada. Só sobrou o Cadu, tadinho. Que, além de atender prontamente a chamada de Maysa, adorou a ideia.

- Minha gata, eu vou adorar estar do seu lado, nem que seja pra questões políticas. - respondeu.

"Bem, ao que parece, tudo encaminhado.", Maysa pensava enquanto redigia a proposta de candidatura, com o vice e tudo mais que fosse preciso. "Agora é só entregar no diretório acadêmico e torcer os dedos!"

No dia final de entrega da documentação, ela fez questão de vestir seu blazer vinho, com uma calça preta justa e scarpins cor da pele. Cadu esperava na porta da faculdade, lindo, elegante e perfumado, e,naquele momento, em que todos os olhares voltaram-se para o futuro casal vencedor do grêmio estudantil, Maysa esqueceu dos últimos dias, das frustrações, da tristeza pelo fim do namoro, das intrigas e até mesmo do próprio Eduardo. Sentiu-se novamente por cima, depois de tanta rasteira que havia recebido.

No entanto, esse sentimento só durou até ela dar de cara com Nathalie e seu vice, nada mais nada menos que seu próprio ex: Eduardo.
... Mas me pergunto onde você estava
Quando eu estava no meu pior momento, de joelhos
E você disse pode contar comigo
Então, eu me pergunto onde você estava...
Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desejos de Menina: Doce Veneno - capítulo 5 © 2009 - 2015 - Todos os Direitos reservados
Volte sempre!