Doce Veneno - capítulo 6

16 outubro 2015

Não, não fuja não, finja que agora eu era o seu brinquedo
Eu era o seu pião, o seu bicho preferido.
Vem, me dê a mão. A
 gente agora já não tinha medo
O tempo da maldade, 
acho que a gente nem tinha nascido


Maysa sentiu um duro golpe quando viu o ex namorado apoiando sua rival. Era de se esperar que Nathalie fizesse de um tudo para atingi-la, só não esperava que o próprio Eduardo fosse se render aos encantos da loira.
- Bom dia a todos! - disse o coordenador do curso, o seu Jorge Aurélio - Vejo carinhas novas tentando se candidatar esse ano. Sejam muito bem vindos. Primeiro, eu quero  que vocês se apresentem falando de qual chapa são, nomes dos líderes e vices e quais seus objetivos para mudar ou melhorar o curso. A fala de vocês vai servir para mostrar o porquê vocês merecem ganhar as eleições, então, pensem bem no que falar. E acima de tudo, façam tudo com respeito e bom senso. Porque existem regras que devem ser cumpridas durante as eleições e o mandato da chapa  ganhadora.Quero dizer também que este ano os professores terão uma parcela de um por cento dos votos e que, em caso de empate este número poderá definir os ganhadores. No mais, boa sorte a todos!
Os três grupos exploraram de forma clara os seus objetivos, mas Maysa em alguns momentos sentia o peso vindo do olhar de Eduardo e acabava engolindo as palavras, algo que fazia com que Nathalie tivesse risinhos indiscretos mesmo com o pedido de respeito no olhar de seu Jorge.
Cadu foi um excelente companheiro, nesse sentido, pois ao perceber a incômoda situação, tomou a palavra e concluiu as propostas da chapa de Maysa.
Foi a primeira vez que ela conseguiu olhar Cadu com admiração, porque ele demonstrou que era seu amigo de verdade.
- Bem, todos já falaram. Amanhã haverá a primeira reunião que servirá de apresentação das propostas de cada chapa. Vocês terão três dias para formular essas propostas em slides que vão ser apresentados para os alunos. - concluiu seu Jorge.
Ao final da reunião, Maysa apressou o passo para não ter que ter encontros desagradáveis, mas foi interrompida ao ser puxada pela mão, já na saída.
- Maysa, preciso falar contigo.
- Não temos nada pra conversar, Eduardo. Aliás, boa sorte na sua campanha. Pena que você tem um péssimo gosto na escolha de quem será sua aliada - ela soltou o pulso com firmeza e correu para o banheiro.
Entrou numa das cabines e já não pôde mais conter o choro, que foi aos poucos se tornando convulsivo. Por sorte, Ju entrou logo em seguida e pôde ceder seu ombro à amiga.
- Você ainda sente algo por ele ainda, não é?
- Não é porque eu terminei que eu não sinto mais nada por ele, Ju, Tudo o que aconteceu me fez ver que a gente não tava feliz junto, e isso é verdade! As diferenças entre nós eram mais fortes do que o sentimento, e a relação não aguentou. E eu não me arrependo de ter terminado. Só que dói saber que, além dele se envolver com a pessoa que foi o stopim do fim do nosso namoro, ele ainda faz questão de jogar isso na minha cara! - choramingou Maysa, enxugando os olhos.
- Isa, olha, cê tá nervosa, e eu não tô aqui pra julgar ninguém. Mas você acha mesmo que ele seria capaz disso? Pensa bem... Desse tempão que vocês namoraram, ele fez algo com intenção de te prejudicar e te fazer sofrer? Porque, por mais chateada que você esteja agora, você tem que se lembrar da pessoa com quem você conviveu e amou esse tempo todo e ver o que está por trás dessa situação toda.
Maysa então refletiu. Não era do feitio dele fazer qualquer tipo de coisa para magoar quem quer que fosse. Mas então o que faria ele optar pela chapa de quem foi o pivô do fim do seu namoro?
Ao chegar em casa, ela encontrou um pequeno ramalhete de rosas brancas e, dentro de um cartão, um pedido de desculpas.
"Eu imaginei que você iria ficar chateada, só não tanto. Tive que entrar na chapa da Nathalie por insistência de amigos meus que são partidários da chapa e acharam que a minha participação ia contribuir nas mudanças; Como a gente terminou daquele jeito, nem passou pela minha cabeça pedir que você cedesse a vaga de vice pra mim. E dos outros candidatos, ela é a unica pessoa que eu conheço.
Minhas sinceras desculpas,
Eduardo"

Agora era fatal que o faz-de-conta terminasse assim
Pra lá deste quintal, era uma noite que não tem mais fim.
Pois você sumiu no mundo sem me avisar
E agora eu era um louco a perguntar o que é que a vida vai fazer de mim.

Um comentário:

  1. É uma pena suas histórias não estarem ganhando o valor que merece. Eu adorava suas histórias, e olha que não sou fã de leitura. Espero um dia ver teu nome estampado em um grande site/portal ou quem sabe, na capa de um livro :3

    ResponderExcluir

Desejos de Menina: Doce Veneno - capítulo 6 © 2009 - 2015 - Todos os Direitos reservados
Volte sempre!